Liderança e Gestão

2 Comentários 03.10.16 1769 Vizualizações Imprimir Enviar
Resiliência – atributo fundamental para Liderança

Resiliência – atributo fundamental para Liderança: há tempos, a RESISTÊNCIA era considerada um atributo essencial para os líderes e para os vencedores, em quaisquer circunstâncias. Atualmente, é reconhecido que a RESILIÊNCIA é muito mais importante nos aspectos de liderança e gestão do que a RESISTÊNCIA. Vejamos aqui quais as diferenças, e meios de aumentar a nossa RESILIÊNCIA. Se você quiser ser notificado dos próximos artigos, cadastre seu e-mail aqui abaixo, em Assine o Blogtek! SEU E-MAIL NÃO SERÁ USADO POR TERCEIROS.

Resiliência: definições físicas de Resiliência e Resistência

O termo Resistência tem diversos aspectos na metalurgia física. Todo estudante de Engenharia já passou pela temida ResMat, como usualmente é chamada a cadeira de Resistência dos Materiais. Na Metalurgia, existem os conceitos de Resistência à tração, Resistência ao choque, Resistência à fadiga, Resistência à corrosão… quando transposto para o universo da Administração e Gestão de Pessoas, usualmente é feita uma comparação com a Resistência à tração, que é o limite máximo que um material resiste à tração antes do rompimento.

Já a Resiliência, do ponto de vista técnico, corresponde à capacidade de absorver energia mecânica em regime elástico, ou seja, a capacidade de restituir a energia mecânica absorvida.

Ou seja, o material resistente pode sofrer alta tração, porém subitamente se rompe.

O material resiliente tem a capacidade de sofrer deformação elástica e voltar ao seu estado inicial (ou perto disto).

O material tenaz tem a capacidade de absorver energia mecânica em regime elástico e plástico, ou seja, sofre deformação, porém ao cessar a tensão, não retorna ao estado inicial.

O gráfico abaixo ilustra isto:

Resiliência: como o gráfico ilustra

Resiliência: como o gráfico ilustra

Resiliência: a transposição para o ambiente corporativo

Resiliência

Resiliência

Decorrente da cultura beligerante vigente até o século passado, a Resistência era um atributo de suma importância, o que era coerente até com o viés machista da sociedade e das corporações, associando a ideia de resistência física à liderança.

A ideia de resistência era portanto muito associada à imobilidade dos conceitos: os preceitos de liderança e administração eram tidos como quase imutáveis, pois os processos produtivos e respectivos produtos assim o eram.

A partir do momento em que vivemos a sociedade da transformação, a derrubada dos conceitos de perpetuidade dos processos e produtos (máquina fotográfica, GPS, celular, computador, notebook, tablete, smartphones), em que o ciclo de vida de um produto já não se esgota ao longo de uma geração, mas sim ao longo de poucos anos, ou até menos, é necessário que as lideranças, e o ambiente corporativo, seja resiliente, ou seja, que possa sofrer tensões, sem ruptura.

Neste ambiente, a resistência passa a ser um comportamento que vai contra as mudanças, não as aceita, não reconhece fragilidades, e impede o crescimento pessoal e corporativo. Torna-se um bloqueio à evolução, não cede, não consegue ser flexível.

A Resiliência permite às pessoas uma visão mais positiva, restituindo seu equilíbrio emocional após mudanças ou grandes situações de stress, transformando obstáculos em oportunidades de desenvolvimento, mantendo as competências e habilidades, permitindo antever crises e se preparar para elas, até transformando ameaças em oportunidades.

Resiliência: a fábula do bambu e do carvalho

Resiliência = flexibilidade

Resiliência = flexibilidade

Apesar de a resiliência ser reconhecida como virtude e característica positiva no mundo ocidental, há uma fábula chinesa antiga que já retratava a importância da resiliência através da fábula do Carvalho e do Bambu, em que o Carvalho se vangloriava de sua robustez (leia-se Resistência), debochando do Bambu, até que sobreveio uma forte tempestade que quebrou o Carvalho, enquanto o Bambu, fino e flexível, resistia à tormenta.

Resiliência: como aprimorá-la

A revista Exame, em 2012 (e depois apresentou variações do tema em edições posteriores), já mencionava formas de aprimorar a Resiliência, através da Empatia, Tenacidade, Resolução de Problemas, Eficácia, Competência Social e outras formas. Leia mais aqui.

Breve publicaremos um artigo sobre como exercitar e aprimorar a resiliência.

Estamos sempre publicando um artigo e um vídeo por semana, sobre Gerenciamento de Projetos, Gestão da Manutenção e tópicos de Liderança e Gestão. Para saber mais, acompanhe os próximos artigos do Blogtek. Cadastre seu e-mail aqui. SEU E-MAIL NÃO SERÁ UTILIZADO POR TERCEIROS.

 

 

 

 

Clique aqui e cadastre-se para receber uma notificação por email sempre que um novo artigo for postado

Seu email não será utilizado por terceiros nem para envio de spam.
Stonner

Rodolfo Stonner, Engenheiro Mecânico pela UFRJ, atuou como Engenheiro de Equipamentos Sênior da Petrobras, e foi Gerente de Construção e Montagem das Obras Extramuros da Refinaria Abreu e Lima (RNEST), em Pernambuco. Atualmente aposentado, é consultor e instrutor nas áreas de Gerenciamento de Projetos e Gestão da Manutenção, e está atuando com a Deloitte na implantação do PMO para a Refinaria de Talara, Peru. Gosta de lecionar, trocar experiências e conhecimentos, é certificado como PMP (Project Management Professional) e RMP (Risk Management Professional) pelo PMI, e CRE (Certified Reliability Engineer) pela ASQ.

Newsletter

Seja notificado sempre que um novo conteúdo estiver disponível.

Não se preocupe, não temos prática de enviar spam.