Atualidades, Gerenciamento de Projetos

19 Comentários 27.11.13 5531 Vizualizações Imprimir Enviar
Prazos e Acidentes – tem a ver com Itaquera?

Prazos e acidentes – pode haver alguma relação com o triste acidente de hoje, na construção do Estádio Itaquerão, onde se prevê a abertura da Copa do Mundo de 2014? Não queremos ser levianos em fazer uma análise apressada, porém não podemos nos furtar à responsabilidade de sinalizar os riscos associados a projetos com prazos desafiadores. Se quiser ser notificado dos próximos artigos, cadastre seu e-mail aqui ao lado do artigo, em Assine o Blogtek! SEU E-MAIL NÃO SERÁ USADO POR TERCEIROS!

Movimentação de Carga – muita atenção!

ID-100130248Atividades de movimentação de carga são grandes desafios da Engenharia, e nos fascinam, a todos nós que gostamos de projetos e obras. Em uma grande Obra, quando há uma movimentação de grande porte, todos param para apreciar a beleza e complexidade da operação. Normalmente, estas atividades são acompanhadas muito de perto por profissionais de Segurança do Trabalho, e uma série de procedimentos prévios são adotados, tais como Análise Preliminar de Perigo.

Nota: alguns autores usam o termo Análise Preliminar de Risco; preferimos utilizar o termo Análise Preliminar de Perigo, baseado no conceito de que, de forma esquemática, o Risco = Perigo/Medidas de Contenção. Então, avalia-se o Perigo existente em uma atividade para prever as medidas de contenção/prevenção necessárias para reduzir o Risco a níveis aceitáveis.

Não obstante todos estes cuidados, esta atividade tem um registro extremamente elevado de acidentes. Há inclusive um site (http://www.craneaccidents.com/) dedicado apenas a acidentes com guindastes e movimentação de cargas.

O Acidente de Itaquera

ID-10029039Este tipo de acidente não é o primeiro. Já houve acidentes bastante similares, inclusive em atividade também de montagem de cobertura de um estádio, nos Estados Unidos, em 1999.

O guindaste envolvido naquele acidente era apelidado “BIG BLUE” e era, à época o mais alto guindaste do mundo (cerca de 180 metros, 600 ft). Estava montando a cobertura de um estádio de beisebol, em Milwaukee, às 17:15. Erguia uma carga de cerca de 450 ton, e ventos de cerca de 50 km/h ocasionaram a queda do guindaste, levando a três fatalidades. Veja o vídeo em http://www.youtube.com/watch?v=slEWQQ6TGr4&noredirect=1.

Este acidente foi considerado um dos maiores na história de acidentes mundiais com guindastes, considerando os aspectos de fatalidades, ferimentos e custo dos danos.

No caso de Itaquera, em primeira análise, pendente portanto de confirmação, o coordenador da Defesa Civil, Jair Paca de Lima, afirmou que a tragédia pode ter sido causada por erro de procedimento:

– A minha primeira impressão é de que foi um erro de procedimento. Este pode ter relação com um erro de manobra do guindaste ou por conta do peso da estrutura que estava sendo içada. Mas só vamos ter algo mais conclusivo depois das outras perícias. O afundamento de solo, pelo que conversamos com as pessoas da empreiteira, está inicialmente descartado – explicou Lima.

Este guindaste que caiu era considerado o maior do Brasil, com 114 metros de altura e com capacidade de suportar 1.500 toneladas. Informações ainda não confirmadas dizem que o peso da peça era de 450 ton; a se confirmar, seria coincidentemente o mesmo peso do acidente do Big Blue. Veja o vídeo: http://www.youtube.com/watch?v=17OReQqPv30

Prazos apertados

Prazos apertados frequentemente induzem a ações sem a adequada avaliação dos aspectos de segurança, sob a tênue esperança de que “Tudo vai dar certo”. Sob a ótica de segurança, nada “Tem que dar certo”. Pelo contrário, “Tudo tem que ocorrer certo”. O que queremos dizer com este jogo de palavras é que “dar certo” dá uma ideia de aleatoriedade, enquanto “ocorrer certo”  denota o cumprimento de normas, procedimentos, e principalmente, comprometimento das pessoas e adequada percepção dos riscos.

Autoridades de trânsito tem o registro estatístico de que a maioria dos acidentes em viagens ocorrem perto do término. O mesmo ocorre com Obras. O corre-corre do final, a pressa em entregar a Obra, cria um ambiente propício para quem negligenciados aspectos de segurança.

Segurança – rever os conceitos

A responsabilidade pela Segurança não é da área de segurança. É de todos nós. A área de segurança industrial está para orientar, apoiar, auxiliar, mas não podemos imputar a responsabilidade de nossos atos na Obra sobre a equipe de Segurança Industrial.

Mais importante do que Procedimentos, Instruções, Normas, é a interiorização da importância de agirmos de forma segura, melhorar nossa percepção de riscos, atuarmos de forma preventiva.

 

Incoming search terms:

  • guindaste big blue
  • acidente com guindaste da locor 500 ton
  • acidente de carro no big blue
  • acidente fatal que aconteceu hoje com a Itaquera
  • acidenteemshopitaquera
  • analise Itaquera
  • guindaste big blu
  • hortaliças e legumes
  • maior acidente com guindaste big blue
  • ton celulares itaquera

Clique aqui e cadastre-se para receber uma notificação por email sempre que um novo artigo for postado

Seu email não será utilizado por terceiros nem para envio de spam.
Stonner

Rodolfo Stonner, Engenheiro Mecânico pela UFRJ, atuou como Engenheiro de Equipamentos Sênior da Petrobras, e foi Gerente de Construção e Montagem das Obras Extramuros da Refinaria Abreu e Lima (RNEST), em Pernambuco. Atualmente aposentado, é consultor e instrutor nas áreas de Gerenciamento de Projetos e Gestão da Manutenção, e está atuando com a Deloitte na implantação do PMO para a Refinaria de Talara, Peru. Gosta de lecionar, trocar experiências e conhecimentos, é certificado como PMP (Project Management Professional) e RMP (Risk Management Professional) pelo PMI, e CRE (Certified Reliability Engineer) pela ASQ.

Newsletter

Seja notificado sempre que um novo conteúdo estiver disponível.

Não se preocupe, não temos prática de enviar spam.