Liderança e Gestão

6 Comentários 22.03.16 1726 Vizualizações Imprimir Enviar
Fayol – releitura de clássicos da administração

Fayol – releitura de clássicos da administração: assim como um biólogo não pode prescindir da leitura de “A origem das espécies”, de Charles Darwin, e um físico não pode abrir mão do conhecimento de Newton e outros clássicos, também o Líder e Gestor não pode deixar de conhecer a obra do pai da Moderna Administração, Jules Henri Fayol. Se você quiser ser notificado dos próximos artigos, cadastre seu e-mail aqui ao lado, em Assine o Blogtek! SEU E-MAIL NÃO SERÁ USADO POR TERCEIROS.

Fayol – releitura de clássicos da administração: POC³

Engenheiro de minas francês, nascido na Turquia, filho de um contramestre de metalurgia, cedo se interessou pelos aspectos da administração, começou aos dezenove anos a trabalhar na Compagnie de Commentry-Fourchambeau-Decazeville, a qual se encontrava à beira da falência, e paulatinamente levou a empresa a reverter este quadro. Ao longo deste período, idealizou e aplicou os princípios de administração que o tornariam referência no assunto. Após sua aposentadoria à frente desta empresa, fundou, nos últimos anos de sua vida, o Centro de Estudos Administrativos.

Fayol, Taylor e Ford são considerados pioneiros da administração. Enquanto a visão de Ford era do Dono, a visão de Taylor era do Trabalhador, a visão de Fayol era do Gestor.

Dentre as várias funções existentes em uma empresa (técnicas, comerciais, de segurança, financeira, contábeis e administrativa), Fayol julgava as técnicas administrativas as mais importantes, cujas componentes são abaixo destacadas, formando o acrônimo POCCC ou POC³.

  • Planejar – estabelecer os objetivos e metas da empresa (ou organização; Fayol defendia que estes princípios se aplicam a qualquer organização). Como atingir as metas, definir os processos decisórios. Possui três níveis (Estratégico, tático e operacional).
  • Organizar – coordenar os recursos humanos, financeiros e materiais da empresa, conforme o planejado. Transformar o planejamento em realidade.
  • Comandar – alocar as tarefas aos executantes, e garantir o cumprimento destas tarefas. Explicitar atribuições e responsabilidades.
  • Coordenar – alinhar todas atividades e esforços da empresa para um fim comum, buscar otimizar o vetor resultante dos esforços individuais e setoriais.
  • Controlar – estabelecer padrões e indicadores de desempenho, de forma a garantir que tudo ocorra conforme previsto, de acordo com as regras e princípios da empresa.

Atualmente, ao invés do acrônimo POC³, utiliza-se PODC (Planejar, Organizar, Dirigir, Controlar)

Fayol – releitura de clássicos da administração: 14 princípios

Fayol identificou 14 princípios relevantes e fundamentais para a eficácia da Administração. São eles:

  1. Divisão do trabalho: decompor o trabalho em tarefas especializadas e específicas, e alocá-las para os componentes da empresa, buscando aumento da produtividade e eficiência na produção. “Produzir mais e melhor com o mesmo esforço”.
  2. Autoridade e Responsabilidade: autoridade = poder de dar ordens, comandar; responsabilidade = obrigação de prestar contas. “Equilíbrio entre ambas é condição essencial de uma boa administração.”
  3. Disciplina: estabelecer regras de conduta, zelar pelo cumprimento e punir as violações. Ausência de disciplina gera caos. “Consiste na obediência e assiduidade conforme convenções estabelecidas.”
  4. Unidade de comando: para cada ação, o agente deve receber ordens de um único chefe ou gerente. Hoje em dia, há um ditado popular que ilustra isto: “Cachorro que tem dois donos morre de fome.” “Um agente deve receber ordens somente de um chefe.”
  5. Unidade de direção: todos os esforços dos colaboradores devem estar voltados para o atingimento dos objetivos e metas organizacionais. “Um chefe, um programa, e o mesmo objetivo.”
  6. Subordinação: os interesses dos funcionários da empresa não devem se sobrepor aos interesses da organização. Extrapolado para a administração pública, diz-se que o Interesse Público prevalece sobre o Interesse Privado. “O interesse de um agente ou de um grupo de agentes não deve prevalecer sobre o interesse da empresa.”
  7. Remuneração: a remuneração dos funcionários deve recompensar os esforços individuais, sendo justa para empregados e empregadores. “Deve ser equitativa e, tanto quanto possível satisfazer ao mesmo tempo ao pessoal e à empresa.”
  8. Centralização: a responsabilidade final dos resultados é dos gestores, os quais devem saber dar autoridade à sua equipe, para melhor realização das atividades. “Saber delegar.” (leia mais aqui)
  9. Hierarquia: respeito à linha de autoridade, seguindo a cadeia de comando. “Constitui a série dos chefes que vai da autoridade superior aos agentes inferiores.”
  10. Ordem: organização de tarefas e materiais, com locais definidos, de forma a auxiliar na gestão.
  11. Equidade: a justiça deve prevalecer em toda a organização, Direitos iguais, disciplina e ordem justas melhoram o comportamento dos empregados.
  12. Estabilidade do pessoal: promover a lealdade e longevidade dos empregados, diminuindo a rotatividade. Rotatividade alta tem impactos negativos sobre o desempenho e moral dos funcionários, consequentemente da empresa.
  13. Iniciativa: incentivar os empregados a buscarem soluções para os problemas. “Conceber um plano e assegurar-lhe o sucesso é uma das mais vivas satisfações que o homem inteligente pode experimentar.”
  14. Espírito de equipe: valorizar a integração, harmonia e o entendimento entre os membros da organização, estimular a conscientização da identidade de objetivos e esforços. Entender que estão todos no mesmo barco.

 Fayol – releitura de clássicos da administração: críticas

Atualmente há algumas releituras críticas de Fayol. De fato, há um enfoque muito grande no comando, considera a organização muito isolada e não afetada pelo mundo exterior, e hoje vemos a velocidade das mudanças que nos cercam, e a necessidade de constantes adaptações.

Nada disto, no entanto, invalida o trabalho de Fayol, de onde muitas lições de administração continuam sendo aprendidas.

Estamos sempre publicando artigos sobre Liderança e Gestão, Gerenciamento de Projetos e Gestão da Manutenção. Para manter-se informado sobre os próximos artigos, cadastre seu e-mail em Assine o Blogtek! SEU E-MAIL NÃO SERÁ USADO POR TERCEIROS.

Incoming search terms:

  • tudo ocorra de acordo com as regras na adm

Clique aqui e cadastre-se para receber uma notificação por email sempre que um novo artigo for postado

Seu email não será utilizado por terceiros nem para envio de spam.
Stonner

Rodolfo Stonner, Engenheiro Mecânico pela UFRJ, atuou como Engenheiro de Equipamentos Sênior da Petrobras, e foi Gerente de Construção e Montagem das Obras Extramuros da Refinaria Abreu e Lima (RNEST), em Pernambuco. Atualmente aposentado, é consultor e instrutor nas áreas de Gerenciamento de Projetos e Gestão da Manutenção, e está atuando com a Deloitte na implantação do PMO para a Refinaria de Talara, Peru. Gosta de lecionar, trocar experiências e conhecimentos, é certificado como PMP (Project Management Professional) e RMP (Risk Management Professional) pelo PMI, e CRE (Certified Reliability Engineer) pela ASQ.

Newsletter

Seja notificado sempre que um novo conteúdo estiver disponível.

Não se preocupe, não temos prática de enviar spam.