Gerenciamento de Projetos

Comente 09.12.19 751 Visualizações Imprimir Enviar
Fatores inibidores para a solução de problemas

Fatores inibidores para a solução de problemas – diversas questões compõem o cotidiano de um gestor, e têm sido abordadas aqui no Blogtek.  Comunicação (90% do tempo do gestor): Saber ouvir significa melhor comunicação, Os 7C da Comunicação, Comunicação e Manipulação Cognitiva, Cuidado com a Comunicação no PowerPoint. Processos Decisórios: PDCA, Árvore de Decisão, Processo Decisório Multicritérios, Método de Mudge, AHP. E a solução de problemas também é uma grande parcela da atividade do gestor, aqui retratada em Análise da Causa Básica, 5 porquês, FMEADiagrama de Ishikawa.

Porém, hoje iremos abordar mais do que métodos e ferramentas, pois como vêem, métodos para a solução de problemas há vários.

Hoje abordaremos quais são os fatores ambientais e organizacionais que inibem a solução de problemas. Antes de optar por algum método de solução de problemas, há que verificar se estes fatores inibidores foram removidos. Se você quiser ser notificado dos próximos artigos, cadastre seu e-mail aqui ao lado, em Assine o Blogtek! SEU E-MAIL NÃO SERÁ USADO POR TERCEIROS.

Fatores inibidores para a solução de problemas – identificação do problema

Esta é uma questão frequentemente mal compreendida. A todos, parece óbvio qual é o problema; porém, a sua descrição pode estar incompleta, ou mesmo errada, impedindo a equipe de identificar as causas do problema e poder resolvê-lo.

Um exemplo do cotidiano: muitos reclamam que seu problema é a falta de dinheiro. Não, na realidade falta de dinheiro não é o problema; as causas que levam a faltar dinheiro é que são o problema de fato.

Fatores inibidores para a solução de problemas – pressa na solução

Lidar com problemas é estressante. Por isso, até independente de pressão gerencial, a própria equipe envolvida na solução do problema deseja terminar a anãlise e apontar causas e soluções o mais rápido possível.

Com isto, alguns passos importantes podem ser esquecidos ou menosprezados, levando a conclusões incorretas.

Fatores inibidores para a solução de problemas – pouca participação da equipe

Diversos fatores podem contribuir para isto. A responsabilidade de encontrar uma solução pode inibir a participação, assim como também a composição da equipe. Pode ser que na formação da equipe não se tenha tido o cuidado de criar um grupo multifuncional, e falta de uma visão de todas as facetas do problema inibe a particiapção dos demais membros.

Fatores inibidores para a solução de problemas – não utilização de ferramentas e técnicas

Apesar de haver inúmeras ferramentas e técnicas para ajudar na resolução de problemas, como descrito na introdução deste artigo, muitas vezes os grupos para resolução de problemas são formados na base da boa vontade, vamos interagir, vamos discutir, a solução virá.

Adequadas técnicas e ferramentas auxiliam na solução de problemas, e devem ser utilizadas.

Fatores inibidores para a solução de problemas – falta de dados consistentes

Muitas pessoas confundem dados com informação. Informação significa os dados trabalhados (já abordamos o assunto em Dados, Informação, Conhecimento).

Dados esparsos, não significativos não irão gerar informação confiável, que possa ser trabalhada.

Ferramentas estatísticas podem ser requeridas, as quais podem não estar disponíveis no arsenal de conhecimentos da equipe.

Fatores inibidores para a solução de problemas – impaciência gerencial

Assim como a equipe pode ter pressa em resolver o problema, para se livrar desta incômoda carga de trabalho, muitas vezes é a gerência que pressiona por resultados, levando a conclusões equivocadas e apressadas.

Claro que é compreensível que a Gerência tenha pressa em resultados, porém há que buscar um balanço entre a rapidez requerida e as dificuldades da equipe.

Fatores inibidores para a solução de problemas – não identificação da causa básica

Apesar das técnicas para identificação da causa básica, esta definição pode ser difícil e sutil.

Cabe lembrar a definição de Causa Básica: aquela que, ao ser removida, impede a recorrência do problema. Então, uma vez identificada a causa que se supõe básica, que esta causa seja explorada ao máximo para checar se efetivamente é a causa básica. A técnica do What-if irá auxiliar nesta fase.

A cada semana, publicamos novos artigos aqui no Blogtek, sobre Gerenciamento de Projetos, Gestão da Manutenção, e tópicos sobre Liderança e Gestão. Também semanalmente publicamos um vídeo, os quais podem ser acessados em youtube.com/c/Blogtek.  Se você quiser ser notificado dos próximos artigos, cadastre seu e-mail aqui ao lado, em Assine o Blogtek! SEU E-MAIL NÃO SERÁ USADO POR TERCEIROS.

Incoming search terms:

  • formula pra curva de aprendizagem

Clique aqui e cadastre-se para receber uma notificação por email sempre que um novo artigo for postado

Seu email não será utilizado por terceiros nem para envio de spam.
Stonner

Rodolfo Stonner, Engenheiro Mecânico pela UFRJ, atuou como Engenheiro de Equipamentos Sênior da Petrobras, e foi Gerente de Construção e Montagem das Obras Extramuros da Refinaria Abreu e Lima (RNEST), em Pernambuco. Atualmente aposentado, é consultor e instrutor nas áreas de Gerenciamento de Projetos e Gestão da Manutenção, e está atuando com a Deloitte na implantação do PMO para a Refinaria de Talara, Peru. Gosta de lecionar, trocar experiências e conhecimentos, é certificado como PMP (Project Management Professional) e RMP (Risk Management Professional) pelo PMI, e CRE (Certified Reliability Engineer) pela ASQ.

Newsletter

Seja notificado sempre que um novo conteúdo estiver disponível.

Não se preocupe, não temos prática de enviar spam.