Liderança e Gestão

Comente 21.05.19 260 Vizualizações Imprimir Enviar
Escolha de critérios para decisão – processos decisórios

Escolha de critérios para decisão – há diversos artigos aqui no Blogtek sobre Processos Decisórios, porque isto é o dia-a-dia de qualquer gestor: Árvore de decisão, Método de Mudge, Analytical Hierarchy Process, Soma ponderada, técnica da escada, Decisão multicritério. Alguns processos decisórios são influenciados por um único critério, mas frequentemente há vários atributos ou critérios afetando a decisão. Veremos aqui como fazer uma adequada seleção de critérios. Se você quiser ser notificado dos próximos artigos, cadastre seu e-mail aqui ao lado, em Assine o Blogtek! SEU E-MAIL NÃO SERÁ USADO POR TERCEIROS.

Escolha de critérios para decisão – aspectos a considerar

Critérios para decisão

Critérios para decisão

A adequada escolha dos critérios é o primeiro passo de um processo decisório, e tem extrema influência nos resultados do processo. Alguns aspectos a considerar:

Oferecer alternativas: um critério que tenha o mesmo resultado para todas as opções elencadas, de nada serve. Um exemplo bastante óbvio seria, no caso de escolha de um novo automóvel, ter a opção de uso de gás natural veicular. Se todos os modelos avaliados tiverem esta opção, este critério é totalmente irrelevante.

Objetividade: os critérios escolhidos devem permitir uma atribuição objetiva, ainda que em escala qualitativa, e não quantitativa. Por exemplo, a avaliação do critério Custo é quantitativa, e permite comparação, mas o critério Beleza, ainda que em uma escala qualitativa, também permite comparação. Já o critério Cor, não tem a possibilidade de atribuição objetiva: vermelho não é melhor que azul. As pessoas podem ter preferências individuais, porém o atributo Cor deveria estar implicitamente colocado dentro do critério Beleza, por exemplo. Quem gosta de vermelho, provavelmente avaliará um carro vermelho melhor neste critério do que um carro azul.

Abrangência: os critérios selecionados devem contemplar todos os aspectos relevantes na escolha da decisão. Se ao término da seleção de critérios e utilização do processo decisório escolhido, ainda houver espaço para colocação de comentários tais como: É, mas…, isto significa que ficou faltando um critério para a completa e adequada avaliação.

Diferenciação: se dois critérios, ao serem pontuados para as diferentes alternativas a serem escolhidas, têm os mesmos resultados, estes critérios podem ser unificados em apenas um critério, ou considerar apenas um deles.

Escolha de critérios para decisão – atribuição de pesos ponderados

Uma vez definidos os critérios a serem utilizados, em um processo decisório multi-critérios, é importante poder hierarquizar, ponderar estes critérios.

Isto pode ser feito de maneira informal, por exemplo, o Preço tem peso 3, e Potência tem peso 1, ou pode ser feita de maneira mais racional e científica, através de processos tais como Analytical Hierarchy Process, ou o Método de Mudge (gosto muito deste método).

A cada semana, publicamos novos artigos aqui no Blogtek, sobre Gerenciamento de Projetos, Gestão da Manutenção, e tópicos sobre Liderança e Gestão. Também semanalmente publicamos um vídeo, os quais podem ser acessados em youtube.com/c/Blogtek, com legendas em espanhol. Para manter-se informado sobre os próximos artigos, cadastre seu e-mail em Assine o Blogtek! SEU E-MAIL NÃO SERÁ USADO POR TERCEIROS.

Incoming search terms:

  • acidentes organizacionais james reason
  • baixar ferramenta what if
  • Calcule a data mais cedo data mais tarde
  • o descongelamento kurt lewin
  • segundo modelo de kurt lewin o processo de mudanças
  • segundo modelo do processo de mudança organizacional proposto por kurt lewin a estapa de brainly
  • tendencias da manutencao para os próximos anos

Clique aqui e cadastre-se para receber uma notificação por email sempre que um novo artigo for postado

Seu email não será utilizado por terceiros nem para envio de spam.
Stonner

Rodolfo Stonner, Engenheiro Mecânico pela UFRJ, atuou como Engenheiro de Equipamentos Sênior da Petrobras, e foi Gerente de Construção e Montagem das Obras Extramuros da Refinaria Abreu e Lima (RNEST), em Pernambuco. Atualmente aposentado, é consultor e instrutor nas áreas de Gerenciamento de Projetos e Gestão da Manutenção, e está atuando com a Deloitte na implantação do PMO para a Refinaria de Talara, Peru. Gosta de lecionar, trocar experiências e conhecimentos, é certificado como PMP (Project Management Professional) e RMP (Risk Management Professional) pelo PMI, e CRE (Certified Reliability Engineer) pela ASQ.

Newsletter

Seja notificado sempre que um novo conteúdo estiver disponível.

Não se preocupe, não temos prática de enviar spam.