Menu

9 Indicadores de Desempenho para Manutenção

Stonner 2 Comentários 21.05.18 2135 Vizualizações Imprimir Enviar

Indicadores de Desempenho para Manutenção: há muitos indicadores a serem utilizados para a manutenção. Recentemente publicamos aqui no Blogtek, um artigo (Métricas e Indicadores) mencionando que no máximo 30% do tempo do gerente deve ser empregado no levantamento de indicadores. Portanto, é importante identificar quais são os indicadores de manutenção mais importantes, aqueles que melhor lhe auxiliarão na Gestão da Manutenção.Se você quiser ser notificado dos próximos artigos, cadastre seu e-mail aqui ao lado, em Assine o Blogtek! SEU E-MAIL NÃO SERÁ USADO POR TERCEIROS.

Clique aqui e cadastre-se para receber uma notificação por email sempre que um novo artigo for postado

Seu email não será utilizado por terceiros nem para envio de spam.

Indicadores de Desempenho para Manutenção – MTBF

MTBF (Mean Time Between Failures) é o tempo médio entre falhas. Obviamente, não há como estabelecer um parâmetro geral para este indicador, uma vez que os equipamentos são muito distintos entre si. O que se pode aferir é a evolução deste indicador. Um benchmark para a evolução deste indicador pode se basear nos estudos da Dupont Chemicals, que estabelece que o MTBF deve aumentar acima de 10% a cada ano.

Indicadores de Desempenho para Manutenção – percentual de trabalho planejado

Obviamente, todos nós gestores de manutenção sabemos que há emergências, porém, a maior parte dos trabalhos devem ser planejados. Planejar as intervenções de manutenção compreende estimar prazos e recursos necessários para a atividade, incluindo máquinas, materiais, ferramentas, acessos, etc. Também deve ser contemplada a adequada priorização do serviço e a melhor data para realizá-lo. O benchmark para a Manutenção de classe mundial é que acima de 95% das intervenções de manutenção sejam planejadas.

Indicadores de Desempenho para Manutenção – backlog

Backlog (leia mais neste artigo: Backlog) representa a duração que levaria para executar a atual demanda de serviços com a força de trabalho existente. Logicamente, o backlog varia a cada dia, pois alguns trabalhos são realizados, e novas demandas surgem. O ideal é que o backlog se mantenha relativamente estável. A Dupont recomenda que o backlog seja inferior a 4 semanas, e nas refinarias da Petrobras buscando obter um backlog em torno de 11 dias.

Indicadores de Desempenho para Manutenção – qualidade do planejamento

Além de buscarmos atingir percentuais adequados de trabalhos planejados, é importante que este planejamento seja correto, para adequada utilização de recursos. Se estimamos tempo demasiado, deixarão de ser programados serviços que poderiam ser executados. Se estimamos tempo a menos, este tempo será ultrapassado, e deixaremos de atuar em outros equipamentos, comprometendo a qualidade da programação. Uma estimativa adequada pode ter uma margem de erro de 10%, para mais ou para menos.

O benchmark mundial preconiza que mais de 90% das atividades programadas tenham seu prazo dentro desta faixa de erro.

Indicadores de Desempenho para Manutenção – percentual de manutenção preventiva e preditiva

De maneira geral, considera-se que a meta para Manutenção Proativa deve ser em torno de 75%, para uma Manutenção de Classe Mundial. Isto compreende as intervenções corretivas planejadas (oriundas do monitoramento preditivo) e as intervenções preventivas.

No que diz respeito à manutenção preventiva, deve-se atentar para a adequada escolha do intervalo para estas intervenções (saiba mais em “A curva da banheira”).

Indicadores de Desempenho para Manutenção – percentual de retrabalho

Idealmente, não deveria haver retrabalho. Porém, isto seria uma utopia. Para a Manutenção de Classe Mundial, o retrabalho não deve ser superior a 3% das atividades de Manutenção.

Indicadores de Desempenho para Manutenção – treinamento

As técnicas de manutenção estão em constante evolução, portanto é necessário manter a força de trabalho atualizada. O benchmark mundial preconiza em torno de 10 dias por ano para treinamento e atualização de cada elemento da manutenção.

Indicadores de Desempenho para Manutenção – custos

A Manutenção é muitas vezes sacrificada quando da redução de custos na Organização. Antes de mais nada, é necessário poder avaliar os impactos de uma redução de custos nos resultados da empresa. Uma perda de produção é muito frequentemente superior à eventual redução de custos. Feita esta ressalva, logicamente há indicadores para os custos de manutenção. Estes indicadores são habitualmente comparados ao custo do equipamento ou planta.

O benchmark mundial situa o custo ideal da Manutenção, por ano,  em torno de 2 a 3% do custo do equipamento ou planta.

Indicadores de Desempenho para Manutenção – OEE

Finalmente, um importante indicador da Manutenção é o OEE (Overall Equipment Effectiveness), que já foi objeto de um artigo aqui no Blogtek. É um indicador muito válido, principalmente em indústrias de manufatura. Corresponde ao produto dos indicadores de Disponibilidade, Desempenho e Qualidade.

Pesquisas realizadas na área de Equipamentos Industriais mostram que o quartil superior das empresas pesquisadas tem um OEE acima de 90%. Porém, sugere-se, mais do que o valor absoluto do OEE, acompanhar a variação do OEE ao longo dos anos.

Indicadores de Desempenho para Manutenção – outros indicadores

Há diversos outros indicadores de desempenho da Manutenção, porém, se conseguirmos bons resultados nestes 9 indicadores, certamente estaremos com uma Manutenção de Classe Mundial.

A cada semana, publicamos novos artigos aqui no Blogtek, sobre Gerenciamento de Projetos, Gestão da Manutenção, e tópicos sobre Liderança e Gestão. Também semanalmente publicamos um vídeo, os quais podem ser acessados em youtube.com/c/Blogtek. Para manter-se informado sobre os próximos artigos, cadastre seu e-mail em Assine o Blogtek! SEU E-MAIL NÃO SERÁ USADO POR TERCEIROS.

Clique aqui e cadastre-se para receber uma notificação por email sempre que um novo artigo for postado

Seu email não será utilizado por terceiros nem para envio de spam.

Stonner

Rodolfo Stonner, Engenheiro Mecânico pela UFRJ, atuou como Engenheiro de Equipamentos Sênior da Petrobras, e foi Gerente de Construção e Montagem das Obras Extramuros da Refinaria Abreu e Lima (RNEST), em Pernambuco. Atualmente aposentado, é consultor e instrutor nas áreas de Gerenciamento de Projetos e Gestão da Manutenção, e está atuando com a Deloitte na implantação do PMO para a Refinaria de Talara, Peru. Gosta de lecionar, trocar experiências e conhecimentos, é certificado como PMP (Project Management Professional) e RMP (Risk Management Professional) pelo PMI, e CRE (Certified Reliability Engineer) pela ASQ.

DEIXE O SEU COMENTÁRIO

  • Sgserv Gestão

    Bom dia Stonner. Muito boa essa colocação sua sobre um item importantíssimo na Gestão de Ativos e Manutenção.
    Gostaria de saber sua opinião sobre um Índice de Desempenho de Manutenção que é o Índice de Cumprimento de Planos de Manutenção (ICPM) que muitas empresas consideram o % da quantidade de OS´s oriundas de planos (preventiva, preditiva etc.) , emitidas e terminadas em um período mensal em relação ao total de OS´s oriundas de planos emitidas no mesmo período mensal.

    Eu acho que seria mais eficiente obter através o % da qde. de hh´s de OS´s Terminadas/Concluídas de Planos preventivos, preditivos planejados e programados para um período mensal em relação ao total de OS´s oriundas de planos preventivos, preditivos planejados e programados para o mesmo período mensal.
    O que na sua opinião representaria melhor a eficácia de implementação e execução dos Planos Sistemáticos. Um grande abraço. William Dantas

  • Olá, William, bom ter notícias suas! Pessoalmente, eu acho que o Índice de Cumprimento da Programação é aferido melhor através da quantidade de OS atendidas, e não pelo Hh Total, pois entendo que a relação entre o Hh Total realizado e o Hh Total programado é um indicador da assertividade do planejamento (quão bem estimados são os prazos e recursos atribuídos a cada tarefa). Esta é a minha visão. Abraços!!!

Publicidade

Gerenciamento de Projetos

Curva mais cedo, curva mais tarde

Comente Stonner 20.08.18
Liderança e Gestão

Inovação estratégica – desafios e oportunidades

2 Comentários Stonner 13.08.18
Gestão da Manutenção

CTQ – Critical to Quality

Comente Stonner 31.07.18
Gerenciamento de Projetos

Cuidado com as querências – zele pelo escopo

Comente Stonner 23.07.18
Gerenciamento de Projetos

Etiqueta ou conteúdo – marca da empresa ou valor da equipe

Comente Álvaro Passos 21.07.18

Gerenciamento de Projetos

MS-Project – Dicas e Pegadinhas (Tips & Tricks)

85 Comentários Stonner 28.04.13
Liderança e Gestão

Seis regras testadas para vencer discussões (Les Giblin)

63 Comentários Stonner 01.12.14
Gestão da Manutenção

O Planejamento de uma Parada de Manutenção – Parte 1

61 Comentários Stonner 05.05.13
Atualidades

O que o biquíni esconde e o custo das novas refinarias…

56 Comentários Stonner 17.04.13
Gerenciamento de Projetos

Metodologia FEL – Método dos Portões

45 Comentários Stonner 17.02.13

Bem-vindo ao novo

Blogtek

Seja notificado sempre que um novo conteúdo estiver disponível.

Não se preocupe, não temos prática de enviar spam.
© 2013 - 2018 Blogtek.