Liderança e Gestão

Comente 26.08.19 261 Vizualizações Imprimir Enviar
8 passos para a mudança

8 passos para a mudança – recentemente publicamos aqui no Blogtek, um artigo denominado “Os quatro princípios para a mudança”, baseado no livro com este título, de John Kotter.  O livro havia sido lançado em 1996, e foi revisado em 2014. Em sua primeira edição, Kotter fazia referência a 8 passos para a mudança, desenvolvidos a partir de uma pesquisa com 100 organizações empresariais. Na edição de 2014, os oito passos são denominados oito aceleradores, os quais iremos abordar hoje. Se você quiser ser notificado dos próximos artigos, cadastre seu e-mail aqui ao lado, em Assine o Blogtek! SEU E-MAIL NÃO SERÁ USADO POR TERCEIROS.

8 passos para a mudança – criando senso de urgência

Mudança não é modismo, não devemos mudar por mudar. Porém, há que ficar sempre antenado nas ameaças e oportunidades que podem afetar nosso negócio no futuro próximo. E, neste sentido, manter constante diálogo com a equipe e partes interessadas, para engajá-los no sentimento da necessidade de mudanças frente a estas ameaças e oportunidades, além de incentivá-los a identificar novos vetores de mudança.

8 passos para a mudança – formando uma coalisão orientadora

Poucos, mas diferentes. Procure formar uma pequena equipe para auxiliar no processo de mudança, através de um corte diagonal na organização (diferentes níveis hierárquicos, diferentes funções e áreas de atuação). Obtenha o efetivo compromisso desta equipe pela mudança, e pela condução do processo.

8 passos para a mudança – desenvolvendo uma visão estratégica e iniciativas

Kotter sugere alguns passos para a criação de uma visão estratégica envolvente:

Comunicável – Desejável – Que possa ser visualizada – Flexível – Factível – Imaginável – Simples

A liderança deverá validar a Visão estratégica desenvolvida pela equipe de mudança. Esta visão estratégica é importante para motivar as pessoas a tomarem ação, coordenar e alinhar as ações individuais, e mostrar como o futuro será diferente do passado.

Sem esta visão estratégica, a tendência é de que as iniciativas pela mudança fiquem atrás das demais atividades.

8 passos para a mudança – formando um exército de voluntários

Como criar este voluntariado? Dando às pessoas razão e motivação para agirem em prol da mudança. Mudanças em larga escala apenas ocorrerão quando um número significativo de colaboradores visualiza a mesma oportunidade de mudança, e se orientam na mesma direção.

É necessário desenvolver o sentimento “Eu quero…”, ao invés de “Eu tenho que…”.

Kotter afirma que cerce de 15% da organização estando engajado no processo de mudança, já é suficiente para dar movimento à organização para a mudança.

8 passos para a mudança – removendo barreiras

Barreiras para mudanças podem ser processos ineficientes, normas arcaicas, e os líderes têm que providenciar liberdade suficiente para cruzar fronteiras. O excesso de burocracia é um inimigo a ser vencido na busca de mudanças.

As barreiras podem não ser normativas, mas comportamentais, evidenciadas através de frases como: “Não é assim que funciona”, “Não é desta forma que trabalhamos”, “Já tentamos isto antes”.

As barreiras comportamentais são mais difíceis de remover do que as barreiras normativas.

8 passos para a mudança – celebrando pequenas vitórias (quick wins)

Resultados positivos incentivam a equipe, e motivam os demais. Por isso, é importante comemorar e divulgar as pequenas vitórias de curto prazo (quick wins), pois o resultado final é o somatório destas pequenas vitórias.

Uma vitória, seja grande ou pequena, é qualquer evento que dê um passo adiante na oportunidade.

Uma vitória, ainda que pequena, será relevante, e contagiante para os demais, se:

–  estiver alinhada com o objetivo da mudança

–  tiver significância, de maneira que todos os demais tenham a percepção de seu significado

–  for visível, tangível, sem ambiguidades

8 passos para a mudança – mantendo a aceleração

As pequenas vitórias criam incentivo, mas podem gerar, como efeito colateral, a acomodação. Em práticas desportivas, vemos frequentemente isto ocorrer. Um time que está ganhando diversas partidas em sequência, se acomoda e subitamente começa a perder, sem ter atingido o campeonato (síndrome do “já ganhou”).

E, em caso de perder o ímpeto, retomá-lo será mais difícil do que da primeira vez. Portanto, após cada sucesso, acelere. Mantenha a equipe motivada e empenhada. Não se acomode.

8 passos para a mudança – implantando a mudança

As novas práticas advindas da mudança devem ser consolidadas, para que sejam efetivas. É papel do líder, da liderança, comunicar e implementar os novos métodos e processos.

Os sete primeiros passos (aceleradores) tem a ver com a construção de nova musculatura, em uma analogia aos exercícios físicos. Este oitavo passo (acelerador) tem a ver com sustentar a mudança ao longo do futuro.

A cada semana, publicamos novos artigos aqui no Blogtek, sobre Gerenciamento de Projetos, Gestão da Manutenção, e tópicos sobre Liderança e Gestão. Também semanalmente publicamos um vídeo, os quais podem ser acessados em youtube.com/c/Blogtek. Para manter-se informado sobre os próximos artigos, cadastre seu e-mail em Assine o Blogtek!SEU E-MAIL NÃO SERÁ USADO POR TERCEIROS.

Incoming search terms:

  • deagrama de arvore
  • origem do jogo sete pedras
  • que e opotunidade e ameaças num projeto?
  • youtube blogtek

Clique aqui e cadastre-se para receber uma notificação por email sempre que um novo artigo for postado

Seu email não será utilizado por terceiros nem para envio de spam.
Stonner

Rodolfo Stonner, Engenheiro Mecânico pela UFRJ, atuou como Engenheiro de Equipamentos Sênior da Petrobras, e foi Gerente de Construção e Montagem das Obras Extramuros da Refinaria Abreu e Lima (RNEST), em Pernambuco. Atualmente aposentado, é consultor e instrutor nas áreas de Gerenciamento de Projetos e Gestão da Manutenção, e está atuando com a Deloitte na implantação do PMO para a Refinaria de Talara, Peru. Gosta de lecionar, trocar experiências e conhecimentos, é certificado como PMP (Project Management Professional) e RMP (Risk Management Professional) pelo PMI, e CRE (Certified Reliability Engineer) pela ASQ.

Newsletter

Seja notificado sempre que um novo conteúdo estiver disponível.

Não se preocupe, não temos prática de enviar spam.