Menu

5S – muito mais do que limpinho e arrumadinho

Stonner 5 Comentários 11.12.17 1963 Vizualizações Imprimir Enviar

5S – muito mais do que limpinho e arrumadinho! Os produtos japoneses do pós-guerra eram conceituados no mundo assim como hoje ainda são os produtos chineses (o que vem mudando rapidamente!). Ou seja, eram tidos como produtos ruins, de má qualidade. Nas décadas de 50 e 60 surgiram diversas iniciativas no sentido de melhorar a qualidade dos produtos japoneses, os quais hoje são sinônimo de qualidade. Alguns autores ocidentais, como Deming e Juran, ajudaram a catalisar este processo, mas o fato é que os resultados foram superiores ao esperado.

Clique aqui e cadastre-se para receber uma notificação por email sempre que um novo artigo for postado

Seu email não será utilizado por terceiros nem para envio de spam.

5S – primeiros passos na História

Dentre as diversas correntes que surgiram no Japão pós-guerra, tais como TQM (Total Quality Management), TPM (Total Productive Maintenance), e muitos outros, a maioria se apoia nos conceitos do 5S, tendo tido como mola propulsora a Toyota, com seu Sistema Toyota de Produção.

O nome 5S vem de cinco palavras em Japonês, as quais dão um sentido de limpeza, arrumação, produtividade, palavras estas quais começam pela letra S (ou pelo equivalente japonês da letra S…). Com a dificuldade de conseguir sinônimos em Português que também começassem com “S”, passamos a utilizar as palavras “Senso de…”.

Quando no título deste artigo coloquei o “muito mais do que limpinho e arrumadinho”, esta é uma provocação aos que imaginam que 5S seja apenas uma questão de limpeza e arrumação. Trata-se de uma verdadeira e profunda mudança cultural.

Certa vez, ao levar meu carro ao conserto, levei o dono da oficina ao exaspero, quando afirmei que não iria deixar meu carro naquela oficina, pois estava suja. “Mas onde já se viu oficina limpa?”, argumentou, furioso. Já vi, e acho fundamental que seja limpa. Pois reflete muito mais do que limpeza…

5S – Seiri – Senso de Utilização

5S - Senso de Utilização

5S – Senso de Utilização

Muitas vezes, quando mudamos de residência ou de emprego, ao embalar nossos pertences, nos deparamos com coisas que nunca foram utilizadas, porque não tem utilidade. Ou talvez até possam ter eventual utilidade, porém nem sabemos que elas existem, ou onde estão guardadas, portanto de nada nos valem.

Então, a pergunta a ser feita é: “Preciso disto?”. Caso não precise, descarte-o. “Mas posso vir a precisar!”. Então, guarde-o, mas de forma a poder saber onde está, e onde localizar se necessário. E aí já começamos a entrar no próximo Senso:

5S – Seiton – Senso de Organização

5S - Senso de Organização

5S – Senso de Organização

É preciso colocar as coisas em seu devido lugar. Ademais, é preciso saber, de modo fácil e rápido, onde estão. E, a colocação deve priorizar aquilo que mais utilizamos, que deve estar ao nosso alcance imediato. Este senso de organização pode ser resumido na frase: “o que não está classificado não está organizado”.

 

 

5S – Seiso – Senso de Limpeza

5S - Senso de Limpeza

5S – Senso de Limpeza

A limpeza, seja no aspecto pessoal, no ambiente profissional, no ambiente em que vivemos, é fundamental. Em tempos como os atuais, em que a população brasileira vive assombrada com a questão da criminalidade, vale lembrar que há muitos anos (década de 80 e 90), a cidade de Nova Iorque se assemelhava às nossas atuais cidades brasileiras em termos de criminalidade. Uma das etapas do combate à criminalidade que Rudolph Giuliani, então prefeito, adotou foi incrementar a limpeza e urbanização da cidade. Não tenho a ingenuidade de imaginar que apenas isto reduziria a criminalidade, mas entendo que a limpeza, urbanização e melhorias na comunidade sejam um fator necessário, mas não suficiente.

Analogamente podemos pensar em nossas oficinas e escritórios: estarem limpos não significa que sejam produtivos, mas se estão sujos, certamente NÃO são produtivos.

5S – Seiketsu – Senso de Padronização

5S - Senso de Padronização

5S – Senso de Padronização

Também denominado Senso de Saúde, preconiza que devemos ter padrões a seguir, para que a Utilização, Organização e Limpeza não sigam critérios aleatórios, diferentes entre as várias pessoas de uma casa ou de uma empresa. Adequada sinalização, correta identificação de equipamentos e ferramentas, sinalização de tempo de uso para substituição, tudo isto são componentes importantes para MANTER o processo.

Ferramentas de comunicação visual, placas, ícones, são peças fundamentais para este senso.

5S – Shitsuke – Senso de Disciplina

5S - Senso de Disciplina

5S – Senso de Disciplina

Este é o senso da sustentabilidade do programa 5S. A iniciativa do programa 5S deve vir da administração (me vem à mente um vídeo que vi há tempos, de um político em campanha jogando um papel de bala no chão… que credibilidade pode ter esta pessoa?). E deve haver um treinamento, uma conscientização constante, para manter o programa “rodando”.

5S – há mais “S” a adotar?

Algumas empresas adotam mais um S, de Segurança. Outras, remetem ainda ao Japonês para incluir mais “S”, tais como Sekinin (Responsabilidade), Shukan (Hábito), Seisan (Eliminação de Perdas)… eu particularmente acho que se o program 5S deu tão certo no Japão, com 5, não é necessário ficar buscando outros “S”… E a Segurança? Pode ser, mas acho que o Program 5S já representa um ganho ENORME para a Segurança.

Estaremos sempre abordando em detalhes aspectos de Liderança e Gestão, Gerenciamento de Projetos, Gestão da Manutenção nos próximos artigos do Blogtek. Para manter-se informado sobre os próximos artigos, cadastre seu e-mail em Assine o Blogtek! SEU E-MAIL NÃO SERÁ USADO POR TERCEIROS.

Clique aqui e cadastre-se para receber uma notificação por email sempre que um novo artigo for postado

Seu email não será utilizado por terceiros nem para envio de spam.

Stonner

Rodolfo Stonner, Engenheiro Mecânico pela UFRJ, atuou como Engenheiro de Equipamentos Sênior da Petrobras, e foi Gerente de Construção e Montagem das Obras Extramuros da Refinaria Abreu e Lima (RNEST), em Pernambuco. Atualmente aposentado, é consultor e instrutor nas áreas de Gerenciamento de Projetos e Gestão da Manutenção, e está atuando com a Deloitte na implantação do PMO para a Refinaria de Talara, Peru. Gosta de lecionar, trocar experiências e conhecimentos, é certificado como PMP (Project Management Professional) e RMP (Risk Management Professional) pelo PMI, e CRE (Certified Reliability Engineer) pela ASQ.

DEIXE O SEU COMENTÁRIO

Publicidade

Gerenciamento de Projetos

Fatores de produtividade no planejamento

Comente Stonner 15.10.18
Liderança e Gestão

Gemba, ou, em bom Português, TBC!

1 Comentário Stonner 02.10.18
Liderança e Gestão

O efeito Dunning-Kruger: a arrogância dos incapazes

Comente Stonner 24.09.18
Gerenciamento de Projetos

Prazo de cotação – quando 2+1 não é igual a 3

Comente Stonner 17.09.18
Gerenciamento de Projetos

Know-how e Know-why: a importância da gestão do conhecimento

Comente Stonner 10.09.18

Gerenciamento de Projetos

MS-Project – Dicas e Pegadinhas (Tips & Tricks)

85 Comentários Stonner 28.04.13
Liderança e Gestão

Seis regras testadas para vencer discussões (Les Giblin)

63 Comentários Stonner 01.12.14
Gestão da Manutenção

O Planejamento de uma Parada de Manutenção – Parte 1

61 Comentários Stonner 05.05.13
Atualidades

O que o biquíni esconde e o custo das novas refinarias…

56 Comentários Stonner 17.04.13
Gerenciamento de Projetos

Metodologia FEL – Método dos Portões

45 Comentários Stonner 17.02.13

Bem-vindo ao novo

Blogtek

Seja notificado sempre que um novo conteúdo estiver disponível.

Não se preocupe, não temos prática de enviar spam.
© 2013 - 2018 Blogtek.