Liderança e Gestão

Comente 30.03.20 600 Visualizações Imprimir Enviar
5 product levels

5 product levels (5 níveis de produto) – inovação, mercados competitivos, rápidas mudanças, tudo isto faz cada vez mais difícil gerar novos produtos que conquistem mercados cada vez mais abrangentes. Neste sentido, vale a pena conhecer o modelo de Kotler (Philip Kotler) e Keller (Kevin Lane Keller) apresentado no livro Gerenciamento do Marketing em 2003. Se você quiser ser notificado dos próximos artigos, cadastre seu e-mail aqui ao lado, em Assine o Blogtek! SEU E-MAIL NÃO SERÁ USADO POR TERCEIROS.

5 product levels – conceito de produto

Produto não é necessariamente um bem tangível. Quando os autores se referem a um produto, este pode ser um bem, um serviço ou mesmo uma ideia. Kotler e Keller perceberam três direcionadores para o modo com que clientes enxerguem valor em um produto:

Necessidade: falta de um determinado requisito

Desejo: requisito específico para atender uma necessidade

Demanda: conjunto de desejos, mais a capacidade de pagar pelos produtos

Clientes escolherão seu produto baseado no valor percebido, o qual é composto de 5 níveis.

5 product levels – core benefit

Este conceito corresponde ao benefício raíz (não resisto à tentação de dizer que os próximos níveis correspondem à transformação do produto raíz em produto Nutella…).

Por exemplo, se queremos algo para transportar nosso notebook, em princípio, poderia ser uma sacola qualquer.

Para uma PMO, agregar pessoas com expertise seria o core benefit.

5 product levels – produto básico

O produto básico seria a unidade mais simples que atenda aos requisitos. No exemplo anterior, uma sacola qualquer não atende aos requisitos de facilidade de transporte, logo um produto básico poderia ser uma mochila.

No exemplo de um PMO, o produto básico poderia ser pessoas com expertise, gerando planos e procedimentos que atendam aos requisitos mínimos do PMBoK Guide.

5 product levels – produto esperado

Seria o que o cliente espera além do produto básico.

No exemplo da mochila, os aspectos estéticos contribuem para formar o produto esperado, assim como, por exemplo, a mochila ter diversos compartimentos e ser impermeável, uma vez que servirá para transportar seu notebook.

No caso do PMO, além de Planos e Procedimentos, seriam ferramentas e técnicas que permitam melhor monitoramento do avanço do projeto. Por exemplo, softwares de gestão, avaliação de prazos x produtividade esperada, etc.

5 product levels – produto aumentado

O produto aumentado incorpora características que excedem as expectativas do cliente.

Por exemplo, a mochila poderia incorporar uma bateria que permita carregar seu smartphone, ou local seguro para guarda-lo na mochila, porém com a possibilidade de usar fones de ouvido.

No caso do PMO, poderiam ser a utilização de simulações de MonteCarlo, a criação de um painel de bordo que permita ao cliente visualizar o status do projeto em qualquer notebook ou celular, a utilização do conceito de Joint Confidence Level (análise conjunta de riscos de prazo e custo).

5 product levels – produto potencial

Este é o diferencial que causará mais que satisfação, o deleite do cliente. Há algum tempo, substituir comandos digitados no prompt do DOS por cliques nos ícones era uma destas características, hoje já tida como normal, e inimaginável não a ter, assim como a tela touch screen.

No caso da mochila, poderia ser um rastreador GPS incorporado à mochila, para localizá-la em caso de furto ou perda, ou um pequeno painel solar que permita manter o notebook carregado enquanto transportado.

No exemplo do PMO, poderia ser a utilização de Inteligência Artificial para leitura massiva de documentos contratuais, identificando palavras chave e auxiliando na preparação da defesa contra pleitos da Contratada.

Os primeiros três níveis correspondem às condições NECESSÁRIAS para um produto, mas não são SUFICIENTES para destacar um produto no mercado. Para tal, são necessários os dois últimos níveis.

A cada semana, publicamos novos artigos aqui no Blogtek, sobre Gerenciamento de Projetos, Gestão da Manutenção, e tópicos sobre Liderança e Gestão. Também semanalmente publicamos um vídeo, os quais podem ser acessados em youtube.com/c/Blogtek. Para manter-se informado sobre os próximos artigos, cadastre seu e-mail em Assine o Blogtek! SEU E-MAIL NÃO SERÁ USADO POR TERCEIROS.

Incoming search terms:

  • a jabela johare e composta pelas area
  • fmea vs fmeca

Clique aqui e cadastre-se para receber uma notificação por email sempre que um novo artigo for postado

Seu email não será utilizado por terceiros nem para envio de spam.
Stonner

Rodolfo Stonner, Engenheiro Mecânico pela UFRJ, atuou como Engenheiro de Equipamentos Sênior da Petrobras, e foi Gerente de Construção e Montagem das Obras Extramuros da Refinaria Abreu e Lima (RNEST), em Pernambuco. Atualmente aposentado, é consultor e instrutor nas áreas de Gerenciamento de Projetos e Gestão da Manutenção, e está atuando com a Deloitte na implantação do PMO para a Refinaria de Talara, Peru. Gosta de lecionar, trocar experiências e conhecimentos, é certificado como PMP (Project Management Professional) e RMP (Risk Management Professional) pelo PMI, e CRE (Certified Reliability Engineer) pela ASQ.

Newsletter

Seja notificado sempre que um novo conteúdo estiver disponível.

Não se preocupe, não temos prática de enviar spam.