Gerenciamento de Projetos

22 Comentários 16.06.14 6608 Vizualizações Imprimir Enviar
10 razões para fracassos de Megaprojetos

10 razões para fracassos de Megaprojetos – temos visto aqui no Blogtek alguns estudos de casos de megaprojetos – A ópera de Sydney, O Big Dig, O Canal do Panamá (o fracasso francês, o sucesso americano)… continuaremos sempre abordando estes tópicos aqui, pois é importante aprender com os erros. Fazendo uma pesquisa em diversos sites, juntamente com nossa experiência e observações do ambiente local de Projetos, elencamos aqui dez razões para fracassos de Megaprojetos.   Se você quiser ser notificado dos próximos artigos, cadastre seu e-mail aqui ao lado, em Assine o Blogtek! SEU E-MAIL NÃO SERÁ USADO POR TERCEIROS.

Definição de Megaprojetos

Segundo Edward Merrow, CEO do Independent Project Analysis, Inc., e autor do livro “Industrial Megaprojects”, conceitua megaprojetos como projetos com custo acima de US$ 1,7 bilhões, e acrescenta um dado preocupante: 65% destes megaprojetos apresentam alguma falha no atendimento aos objetivos de Custo, Prazo, Escopo ou Qualidade!!

10 razões para fracassos de Megaprojetos

1-     Falha em identificar e atender os stakeholders (partes interessadas)

Megaprojetos quase sempre envolvem muitos aspectos políticos. Alguns grupos defenderão o megaprojeto, entendendo as benfeitorias que advirão da implantação do mesmo. Inevitavelmente, grupos políticos opostos irão trabalhar contra o projeto, destacando e aumentando os eventuais impactos negativos. Portanto, a gestão de um Megaprojeto deve considerar as forças políticas existentes, e estabelecer uma estratégia consistente ao longo do prazo de execução do projeto, pois as forças políticas tendem a se alternar.

2-     Falha no Gerenciamento de Escopo

ID-100146551Alterações (volatilidade) de escopo são extremamente prejudiciais. Implicam em mudanças, as quais dependendo do estágio do projeto podem implicar em altos custos. Em projetos envolvendo a produção de bens de consumo esta é uma variável muito frequente, pois os ciclos de vida dos produtos são cada vez mais curtos, porém em cenários mais abrangentes a variação de escopo pode afetar muito os resultados. Exigências ambientais podem subitamente tornarem-se mais rígidas, em função de alguma ocorrência ambiental, o que afetará a definição de escopo. Por exemplo, a energia nuclear vinha sofrendo uma “reabilitação”, frente aos impactos ambientais gerado pelas hidroelétricas, em termos de demanda de área a ser inundada. Subitamente, um evento como o de Fukushima pode torná-la novamente vilã…

3-     Complexidade subestimada

Os megaprojetos são exaustivamente (ou deveriam) estudados do ponto de vista técnico, porém muitas vezes aspectos logísticos, tais como transporte de pessoal, equipamentos e materiais, quantidade e capacitação de mão de obra, infraestrutura existente para o projeto são negligenciados, e se revelam grandes entraves para o sucesso do megaprojeto.

4-     Inadequado gerenciamento de riscos

Infelizmente, muitas vezes o gerenciamento de riscos é visto como uma mera etapa a ser cumprida, porque os manuais de gerenciamento de projetos o recomendam. Em megaprojetos, onde os riscos são muitos (diria, sem receio, na casa de milhares…) há que identificá-los, analisá-los qualitativamente e quantitativamente, estabelecer um ADEQUADO Plano de Resposta aos Riscos, e manter sempre ATUALIZADO, identificando novos riscos, adequando a probabilidade e impactos da ocorrência dos riscos já identificados.

5-     Ocultar más notícias em apresentações pomposas

ID-100109150É sempre ruim dar más notícias, porém é preferível a transparência à total decepção: más notícias devem ser anunciadas, e não ocultas. Evidentemente, divulgar quais ações estão sendo tomadas para reverter o quadro. Recentemente, tivemos um mega fracasso brasileiro, de um grande conglomerado de empresas, atuante em várias áreas, o qual repercutiu internacionalmente, em um cenário que era projetado como auspicioso…

 

6-     Estrutura inadequada de gestão

O viés da otimização de recursos e redução de custos é importante, porém corre-se o risco de subverter as reais necessidades. Em megaprojetos, há custos muito mais significativos em relação aos custos de um quadro de gestores eficaz. Um megaprojeto deve ter em sua gestão um quadro qualitativa e quantitativamente adequado, com baixo “turn-over”, para poder atingir o sucesso.

7-     Processo decisório inadequado

Este aspecto está intimamente ligado à questão do Gerenciamento do Risco. As diversas pressões existentes em megaprojetos obrigam à implantação de um processo decisório estruturado, calcado em fatos e dados, aportados por equipes qualificadas para suporte.

8-     Comunicação inadequada

Diversas vezes abordamos a questão da Comunicação aqui no Blogtek, como componente fundamental para o sucesso de projetos. Esta necessidade cresce exponencialmente em megaprojetos: divulgação de objetivos, decisões tomadas, uso das versões atualizadas de documentos.

9-     Planejamento deficiente

Planejamento é fundamental em um projeto, mais ainda em megaprojetos. Porém, planejar não é apenas usar um software de planejamento (Primavera, Project ou similar). Planejar significa pensar à frente, concatenar as ações, trabalhar em equipe, criar e seguir planos de ação.

10-  Monitorar e controlar

ID-100153462Esta aspecto é aderente à questão do Planejamento Deficiente. Planejar não é uma via de mão única, deve ser realimentado a partir dos resultados obtidos através do processo de Monitoramento e Controle. Se esta atualização não existir, nossa base de dados (do planejamento) estará ultrapassada, levando a planejamento deficiente e equivocado.

Cada um de nós certamente tem suas opiniões sobre as razões de fracasso de projetos ou megaprojetos. Contribua, coloque sua opinião nos comentários. Se você quiser ser notificado dos próximos artigos, cadastre seu e-mail aqui ao lado, em Assine o Blogtek! SEU E-MAIL NÃO SERÁ USADO POR TERCEIROS.

 

Incoming search terms:

  • mega projetos
  • que significa impeditividade
  • as razoes do fracassos
  • estudo de caso opera de sydney planejamento do escopo
  • grandes fracassos engenharia
  • imagem de fracasso
  • mega projetos de engenharia ambiental
  • quais são as razões do fracasso desses sistema do prazo
  • quais sao as razões fracasso de essa sistema do prazo
  • razaos de fracasos de sistema de dos prazos

Clique aqui e cadastre-se para receber uma notificação por email sempre que um novo artigo for postado

Seu email não será utilizado por terceiros nem para envio de spam.
Stonner

Rodolfo Stonner, Engenheiro Mecânico pela UFRJ, atuou como Engenheiro de Equipamentos Sênior da Petrobras, e foi Gerente de Construção e Montagem das Obras Extramuros da Refinaria Abreu e Lima (RNEST), em Pernambuco. Atualmente aposentado, é consultor e instrutor nas áreas de Gerenciamento de Projetos e Gestão da Manutenção, e está atuando com a Deloitte na implantação do PMO para a Refinaria de Talara, Peru. Gosta de lecionar, trocar experiências e conhecimentos, é certificado como PMP (Project Management Professional) e RMP (Risk Management Professional) pelo PMI, e CRE (Certified Reliability Engineer) pela ASQ.

Newsletter

Seja notificado sempre que um novo conteúdo estiver disponível.

Não se preocupe, não temos prática de enviar spam.