Menu

Simplificação de Processos – VIP

Stonner 2 Comentários 10.12.14 2721 Vizualizações Imprimir Enviar

Simplificação de Processos – esta é uma VIP (Value Improvement Practice) extremamente importante, seja porque ela é muito frequentemente aplicável, seja pelos ganhos que proporciona. Já publicamos artigos aqui no Blogtek sobre as VIP’s de Construtibilidade, Minimização de Resíduos, Customização de Normas, e breve, descreveremos outras VIP’s em detalhe.  Se você quiser ser notificado dos próximos artigos, cadastre seu e-mail aqui ao lado, em Assine o Blogtek! SEU E-MAIL NÃO SERÁ USADO POR TERCEIROS.

Clique aqui e cadastre-se para receber uma notificação por email sempre que um novo artigo for postado

Seu email não será utilizado por terceiros nem para envio de spam.

Simplificação de Processos – contexto

O avanço da tecnologia e a preocupação com a segurança dos processos tem nos levado a plantas muito complexas, em um movimento diametralmente oposto ao princípio norte-americano representado pelo acrônimo KISS – Keep it simple, stupid!

J.L.A. Koolen, em sua obra “Design of Simple and Robust Process Plants” nos dá um exemplo claro:

Uma indústria de alimentos estava instalando um refrigerador industrial, e, por sua criticidade em uma indústria deste tipo, investiu em dispositivos e sistemas de controle e proteção. Apesar das geladeiras domésticas terem altíssima disponibilidade e um MTBF (tempo médio entre falhas) de cerca de 10 anos, os projetistas sentiram a necessidade de agregar maior segurança ao processo, e veja qual foi o resultado:

Simplificação de processos - comparação

Simplificação de processos – comparação

Evidentemente, não advogamos aqui simplesmente eliminar os controles, mas, avaliar cuidadosamente os fluxogramas de processo, avaliando o que realmente agrega valor.

Simplificação de Processos – definição

ID-100265126A simplificação de processos pode ser aplicada em plantas novas ou existentes, para melhorar o custo de manutenção, operação e de capital, a qualidade final dos produtos, a capacidade e flexibilidade de produção, e redução dos estoques.

A simplificação de processos foca em eliminar etapas desnecessárias e otimizar o números de fluxos de processo e as redundâncias requeridas. Busca equilibrar custos operacionais e de capital, e frequentemente é desenvolvida juntamente com a VIP Projeto para Capacidade Estabelecida.

Simplificação de Processos – conceitos

O que é uma planta simples?

  • O usuário entende a função dos equipamentos
  • O usuário é capaz de operá-la
  • Operação bem sucedida requer poucas manobras
  • Manobra errada causa pouco dano

O que é uma planta robusta?

  • As operações são estáveis a despeito de flutuações nas entradas
  • A utilização fora das condições projetadas não causa dano
  • A estabilidade é rapidamente restaurada após uma flutuação operacional
  • Falhas ocorrem de forma segura

O que é uma planta complexa?

  • Há diversos elementos interconectados
  • A operação requer diversas manobras
  • Há muitos graus de liberdade
  • Há muitas interações entre sub-processos

Uma característica marcante de uma planta complexa é que um produto fora de especificação raramente tem a fonte da não-conformidade facilmente identificável.

Conceitos a serem empregados durante a Simplificação de Processos:

  • É melhor ter alguns bons instrumentos do que muitos não confiáveis.
  • Buscar mínima intervenção do operador.
  • Falhas devem ocorrer de forma segura.
  • Procure usar no projeto componentes simples e robustos.
  • Valor = (satisfação das necessidades)/(uso dos recursos), ou seja:
  • Valor significa obter o que é necessário com o mínimo de recursos.
  • Nem sempre a redundância aumenta a confiabilidade e disponibilidade.

Simplificação de processos – como fazer

Esta é uma VIP que demanda o envolvimento de uma equipe altamente técnica, através de um Grupo de Trabalho ou Força-Tarefa, constituído de 6 a 8 pessoas, incluindo o Gerente de Projeto, com poder de decisão em caso de indefinições, um Facilitador, com experiência na aplicação da VIP e profundo conhecedor do processo, e representantes da área de Projeto (design), Manutenção (principalmente Instrumentação) e Operação, para facilitar a análise dos fluxogramas de processo.

Consiste em avaliar os fluxogramas de processo, buscando analisar os sub-sistemas operacionais (por exemplo, uma unidade de destilação atmosférica é um sistema operacional, um compressor rotativo desta unidade, com toda sua instrumentação e componentes, é um sub-sistema operacional) de forma a avaliar quais componentes e/ou etapas do processo são desnecessárias ou não agregam valor.

Algumas questões a ter em mente ao longo da execução desta VIP:

  • Cada etapa do processo, cada sub-sistema operacional, de fato contribui para o objetivo da planta?
  • É claramente identificado o propósito de cada etapa de processo?
  • É realmente necessária cada etapa do processo?
  • Há etapas do processo que possam ser eliminadas, combinadas ou reduzidas?
  • As etapas do processo estão sequencialmente adequadas? É possível otimizar esta sequência?

Outras VIP’s serão abordadas em detalhes nos próximos artigos do Blogtek. Para manter-se informado sobre os próximos artigos, cadastre seu e-mail em Assine o Blogtek! SEU E-MAIL NÃO SERÁ USADO POR TERCEIROS.

Incoming search terms:

  • o que significa uma plantacomplexa
  • procesos vip

Clique aqui e cadastre-se para receber uma notificação por email sempre que um novo artigo for postado

Seu email não será utilizado por terceiros nem para envio de spam.

Stonner

Rodolfo Stonner, Engenheiro Mecânico pela UFRJ, atuou como Engenheiro de Equipamentos Sênior da Petrobras, e foi Gerente de Construção e Montagem das Obras Extramuros da Refinaria Abreu e Lima (RNEST), em Pernambuco. Atualmente aposentado, é consultor e instrutor nas áreas de Gerenciamento de Projetos e Gestão da Manutenção, e está atuando com a Deloitte na implantação do PMO para a Refinaria de Talara, Peru. Gosta de lecionar, trocar experiências e conhecimentos, é certificado como PMP (Project Management Professional) e RMP (Risk Management Professional) pelo PMI, e CRE (Certified Reliability Engineer) pela ASQ.

DEIXE O SEU COMENTÁRIO

  • Nataly

    Gostei da forma como o tema foi abordado e acho interessante relacionar a simplificação dos processos com os sistemas normativos visto que erroneamente há uma insersão de processos desnecessários que visam apenas “atender” a norma e não agregar valor.

  • Obrigado, Nataly.. o termo que você utilizou, “agregar valor”, diz tudo…esta deve ser nossa preocupação, sempre!!!!

Publicidade

Liderança e Gestão

Planejamento de cenários – estratégia na incerteza

Comente Stonner 13.11.17
Gerenciamento de Projetos

O projeto como parte do negócio – PMBOK Guide sexta edição

Comente Stonner 06.11.17
Gerenciamento de Projetos

Lei de Parkinson – expansibilidade do trabalho

Comente Stonner 30.10.17
Gerenciamento de Projetos

Joint Confidence Level (JCL) – análise simultânea de custo e prazo

2 Comentários Stonner 23.10.17
Gestão da Manutenção

7 desperdícios da produção (Lean Manufacturing)

Comente Stonner 16.10.17

Gerenciamento de Projetos

MS-Project – Dicas e Pegadinhas (Tips & Tricks)

83 Comentários Stonner 28.04.13
Liderança e Gestão

Seis regras testadas para vencer discussões (Les Giblin)

61 Comentários Stonner 01.12.14
Gestão da Manutenção

O Planejamento de uma Parada de Manutenção – Parte 1

61 Comentários Stonner 05.05.13
Atualidades

O que o biquíni esconde e o custo das novas refinarias…

56 Comentários Stonner 17.04.13
Gerenciamento de Projetos

Metodologia FEL – Método dos Portões

44 Comentários Stonner 17.02.13

Bem-vindo ao novo

Blogtek

Seja notificado sempre que um novo conteúdo estiver disponível.

Loading...Loading...
Não se preocupe, não temos prática de enviar spam.
© 2013 - 2017 Blogtek.