Menu

PDPC – Process Decision Program Chart

Stonner Comente 02.10.17 657 Vizualizações Imprimir Enviar

PDPC – Process Decision Program Chart: recentemente publicamos aqui no Blogtek um artigo intitulado “Sete ferramentas de gerenciamento” (seven management tools), as quais foram desenvolvidas ou selecionadas pela JUSE (Union of Japanese Scientists and Engineers) a partir de 1976, e nos comprometemos a detalhar cada uma delas em próximos artigos do Blogtek. Já discorremos sobre o Diagrama de Afinidade, o Diagrama de Inter-relações, o Diagrama de Árvore, o Diagrama Matricial e hoje vamos discorrer sobre o PDPC (Process Decision Program Chart). Se você quiser ser notificado dos próximos artigos, onde serão detalhadas estas ferramentas e outros tópicos de gerenciamento, cadastre seu e-mail aqui abaixo, em Assine o Blogtek! SEU E-MAIL NÃO SERÁ USADO POR TERCEIROS.

Clique aqui e cadastre-se para receber uma notificação por email sempre que um novo artigo for postado

Seu email não será utilizado por terceiros nem para envio de spam.

PDPC – Process Decision Program Chart – conceitos básicos

Alguns autores mencionam que o PDPC e a técnica FMEA, já abordada aqui no Blogtek, são similares. Na realidade, o PDPC é o modelo geral para abordar um objetivo, as atividades principais para atingir este objetivo, e as tarefas associadas a estas atividades, para a partir daí identificar os riscos associados a estas tarefas, e estabelecer medidas corretivas, preventivas ou mitigadoras para estes riscos. FMEA (e sua variante FMECA) basicamente usa o PDPC para um fim específico, que é o de identificar os modos de falha e seus efeitos (e sua criticalidade, no caso do FMECA).

PDPC – Process Decision Program Chart – quando usar

Por ser uma maneira estruturada de abordar, analisar e buscar soluções para os problemas que eventualmente possam surgir ao longo de um processo, o PDPC – Process Decision Program Chart é mais utilizado quando:

  • Se está iniciando um novo processo,
  • Quando se está iniciando um projeto grande e complexo, e principalmente
  • Quando o custo de possíveis falhas é muito alto.

PDPC – Process Decision Program Chart – como usar

Inicia-se com um diagrama de árvore, desdobrando o Objetivo principal (primeiro nível) em atividades principais (segundo nível), e por sua vez em tarefas requeridas (terceiro nível) para atingir o Objetivo principal. A partir das tarefas, realiza-se um brainstorm para identificar os riscos (risks) ou problemas (issues) associados a estas tarefas.

Uma vez listados os riscos associados, analisa-se os riscos e busca-se eliminar aqueles riscos de menor probabilidade e/ou impacto (lembre-se que na fase de brainstorm não se deve eliminar nenhuma contribuição dos participantes).

Para os riscos ou problemas remanescentes, busca-se estabelecer medidas preventivas, corretivas ou mitigadoras, podendo-se construir um Plano de Ação (5W-1H: What, Why, Who, Where, When, How, ou ainda, 5W-2H, acrescentando o How Much).

PDPC – Process Decision Program Chart – um exemplo

A figura abaixo ilustra o PDPC aplicado ao desenvolvimento de um projeto (é apenas um exemplo ilustrativo, não necessariamente contempla todos os aspectos do Gerenciamento de Projetos).

PDPC - Process Decision Program Chart

PDPC – Process Decision Program Chart

Estaremos sempre abordando em detalhes aspectos de Liderança e Gestão, Gerenciamento de Projetos, Gestão da Manutenção nos próximos artigos do Blogtek. Para manter-se informado sobre os próximos artigos, cadastre seu e-mail em Assine o Blogtek! SEU E-MAIL NÃO SERÁ USADO POR TERCEIROS.

Clique aqui e cadastre-se para receber uma notificação por email sempre que um novo artigo for postado

Seu email não será utilizado por terceiros nem para envio de spam.

Stonner

Rodolfo Stonner, Engenheiro Mecânico pela UFRJ, atuou como Engenheiro de Equipamentos Sênior da Petrobras, e foi Gerente de Construção e Montagem das Obras Extramuros da Refinaria Abreu e Lima (RNEST), em Pernambuco. Atualmente aposentado, é consultor e instrutor nas áreas de Gerenciamento de Projetos e Gestão da Manutenção, e está atuando com a Deloitte na implantação do PMO para a Refinaria de Talara, Peru. Gosta de lecionar, trocar experiências e conhecimentos, é certificado como PMP (Project Management Professional) e RMP (Risk Management Professional) pelo PMI, e CRE (Certified Reliability Engineer) pela ASQ.

DEIXE O SEU COMENTÁRIO

Publicidade

Gerenciamento de Projetos

Síndrome do estudante – procrastinação

Comente Stonner 20.11.17
Liderança e Gestão

Planejamento de cenários – estratégia na incerteza

Comente Stonner 13.11.17
Gerenciamento de Projetos

O projeto como parte do negócio – PMBOK Guide sexta edição

Comente Stonner 06.11.17
Gerenciamento de Projetos

Lei de Parkinson – expansibilidade do trabalho

Comente Stonner 30.10.17
Gerenciamento de Projetos

Joint Confidence Level (JCL) – análise simultânea de custo e prazo

2 Comentários Stonner 23.10.17

Gerenciamento de Projetos

MS-Project – Dicas e Pegadinhas (Tips & Tricks)

83 Comentários Stonner 28.04.13
Liderança e Gestão

Seis regras testadas para vencer discussões (Les Giblin)

61 Comentários Stonner 01.12.14
Gestão da Manutenção

O Planejamento de uma Parada de Manutenção – Parte 1

61 Comentários Stonner 05.05.13
Atualidades

O que o biquíni esconde e o custo das novas refinarias…

56 Comentários Stonner 17.04.13
Gerenciamento de Projetos

Metodologia FEL – Método dos Portões

44 Comentários Stonner 17.02.13

Bem-vindo ao novo

Blogtek

Seja notificado sempre que um novo conteúdo estiver disponível.

Loading...Loading...
Não se preocupe, não temos prática de enviar spam.
© 2013 - 2017 Blogtek.