Menu


Os 5 maiores projetos com orçamentos estourados

Stonner 2 Comentários 26.06.17 598 Vizualizações Imprimir Enviar

Os maiores projetos com orçamentos estourados:  baseado no conceito de lições aprendidas (aprender com erros é bom, melhor ainda é aprender com os erros dos outros), temos aqui publicado diversos artigos sobre projetos fracassados. Boston big dig, Sydney Opera House, Canal do Panamá – o fracasso francês, Rotina de prazos e custos estourados. Hoje iremos ver os 5 recordistas em custos estourados. Se você quiser ser notificado dos próximos artigos, cadastre seu e-mail aqui abaixo, em Assine o Blogtek! SEU E-MAIL NÃO SERÁ USADO POR TERCEIROS.

Clique aqui e cadastre-se para receber uma notificação por email sempre que um novo artigo for postado

Seu email não será utilizado por terceiros nem para envio de spam.

Os maiores projetos com orçamentos estourados: Canal de Suez

Os maiores projetos com orçamentos estourados

Os maiores projetos com orçamentos estourados – Canal de Suez

O Canal de Suez é um canal de 163 quilômetros, unindo o mar Mediterrâneo ao mar Vermelho, permitindo uma comunicação marítima entre Europa e Ásia, sem necessidade de contornar a África. Já era um sonho de Napoleão Bonaparte, quando de sua passagem pelo Egito (Do alto destas pirâmides, 40 séculos vos contemplam).

Sua construção foi iniciada em 1859, sendo concluído em 1869, um projeto conduzido pelo engenheiro francês Ferdinand de Lesseps. O orçamento inicial foi estourado em 1900%, um recorde até os dias atuais! E isso porque utilizou trabalhos forçados, literalmente mão de obra escrava (ou em condições análogas à escravidão).

Realmente, a ciência de estimar custos era incipiente à época, porém Lesseps deliberadamente subestimou os custos, para viabilizar o financiamento. A mesma tática foi por ele utilizada no Canal do Panamá, porém neste empreendimento ele não logrou êxito.

Os maiores projetos com orçamentos estourados: Scottish Parliament Building

Os maiores projetos com orçamentos estourados

Os maiores projetos com orçamentos estourados – Scottish Parliament

A construção do Scottish Parliament Building, em Edinburgh, capital da Escócia, começou em 1999, com orçamento entre 10 e 40 milhões de libras esterlinas, e foi concluído em 2004, contra o prazo previsto de 2001. Porém, pior que o atraso, foi o estouro no orçamento. A obra custou 414 milhões de libras esterlinas, o que correspondeu a um aumento de 1600%, valendo o nada honroso segundo lugar nesta escala.

A maior causa deste orçamento estourado foram mudanças de escopo realizadas ao longo da execução do projeto.

Os maiores projetos com orçamentos estourados: Sydney Opera House

Os maiores projetos com orçamentos estourados

Os maiores projetos com orçamentos estourados – Sydney Opera House

Este projeto já foi objeto de um artigo aqui no Blogtek (leia aqui). Apesar do orçamento estourado em 1400%, o resultado é uma edificação que hoje é um símbolo da Austrália.

A área prevista foi demolida em 1958, e a construção estava prevista concluir em 1963, ao custo de US$ 7 milhões. A construção se iniciou sem que ainda tivesse sido definido o método construtivo para a Obra (toda esta estrutura não tem pilares de sustentação).

Na realidade, a obra foi concluída e o teatro inaugurado em 1973, com o orçamento estourado em 1400%, decorrente de dificuldades de encontrar materiais com adequada resistência mecânica e que resistisse às diferenças de temperatura da região, dificuldades no dimensionamento (cálculo estrutural), pressões políticas e dificuldades técnicas na execução.

Os maiores projetos com orçamentos estourados: Montreal Summer Olympics

Os maiores projetos com orçamentos estourados

Os maiores projetos com orçamentos estourados – Olimpíadas de Montreal

Não são apenas grandes projetos de construção que estouram o orçamento: os XXI Jogos Olímpicos, realizados em Montreal, Canadá, em 1976, ilustram isto. O orçamento relacionado propriamente com esportes foi excedido em 720%, mas considerando as obras de infraestrutura requeridas para o evento levaram a um orçamento estourado de 1300%.

Este caso ilustra a presença de fatores imponderáveis: a África do Sul ainda estava no regime de apartheid, em fase de declínio, e as Nações Unidas haviam proposto um embargo às atividades esportivas na África do Sul. Não obstante, a equipe de rugby da Nova Zelândia participou de alguns jogos na África do Sul. Países africanos fizeram pressão para que o Comitê Olímpico banisse a Nova Zelândia dos jogos de 1976, porém este se negou, o que levou ao boicote de 39 países africanos, e o esvaziamento destas Olimpíadas, o que levou ao maior estouro de orçamento em jogos olímpicos.

Os maiores projetos com orçamentos estourados: o Concorde

Os maiores projetos com orçamentos estourados

Os maiores projetos com orçamentos estourados – Concorde

O Concorde foi um projeto Anglo-francês, desenvolvido a partir de 1956, com seu primeiro voo em 1976, tendo voado até 2003. Foram fabricadas 20 aeronaves, e as únicas companhias aéreas que compraram estes aviões supersônicos foram a British Airways e a Air France. Além de orçamento estourado, um trágico acidente em 2000, quando uma peça de metal na pista estourou um dos pneus, e fez com que a aeronave se espatifasse em uma bola de fogo matando seus 100 passageiros e nove tripulantes, além de quatro pessoas em terra.

O orçamento inicial foi estourado em 1100%, e uma das principais lições é “não vá ao naufrágio pelos custos afundados”. Em algum ponto do projeto deu-se conta de que o projeto não teria a rentabilidade esperada, pelo contrário, o projeto traria prejuízo. No entanto, já havia sido dispendido tanto dinheiro (custos afundados) que decidiu-se ir à frente, o que apenas aumentou o tamanho do rombo.

Estamos sempre publicando dicas e sugestões para Gerenciamento, Gerenciamento de Projetos e Gestão da Manutenção. Toda semana, um artigo e um vídeo. Para manter-se informado sobre os próximos artigos, cadastre seu e-mail aqui abaixo em Assine o Blogtek! SEU E-MAIL NÃO SERÁ USADO POR TERCEIROS.

 

 

Clique aqui e cadastre-se para receber uma notificação por email sempre que um novo artigo for postado

Seu email não será utilizado por terceiros nem para envio de spam.

Stonner

Rodolfo Stonner, Engenheiro Mecânico pela UFRJ, atuou como Engenheiro de Equipamentos Sênior da Petrobras, e foi Gerente de Construção e Montagem das Obras Extramuros da Refinaria Abreu e Lima (RNEST), em Pernambuco. Atualmente aposentado, é consultor e instrutor nas áreas de Gerenciamento de Projetos e Gestão da Manutenção. Gosta de lecionar, trocar experiências e conhecimentos, é certificado como PMP (Project Management Professional) e RMP (Risk Management Professional) pelo PMI, e CRE (Certified Reliability Engineer) pela ASQ.

DEIXE O SEU COMENTÁRIO

  • José S. Silveira Silveira

    Parabéns eng.Stoner muito boa esta matéria e ainda por sua explanação a respeito.

  • Obrigado, meu caro! É bom ver que as falhas não ocorrem somente conosco, rsrsrsrsrsrsrs!

Publicidade

Gerenciamento de Projetos

Mapa Cultural – Erin Meyer

Comente Stonner 24.07.17
Liderança e Gestão

Dicas e pegadinhas para selecionar KPI

Comente Stonner 17.07.17
Liderança e Gestão

3P – Pessoas, Processos, Produto

Comente Stonner 10.07.17
Gestão da Manutenção

10 melhores práticas da Gestão da Manutenção

Comente Stonner 03.07.17
Gerenciamento de Projetos

Os 5 maiores projetos com orçamentos estourados

2 Comentários Stonner 26.06.17

Gerenciamento de Projetos

MS-Project – Dicas e Pegadinhas (Tips & Tricks)

83 Comentários Stonner 28.04.13
Gestão da Manutenção

O Planejamento de uma Parada de Manutenção – Parte 1

61 Comentários Stonner 05.05.13
Liderança e Gestão

Seis regras testadas para vencer discussões (Les Giblin)

61 Comentários Stonner 01.12.14
Atualidades

O que o biquíni esconde e o custo das novas refinarias…

56 Comentários Stonner 17.04.13
Gerenciamento de Projetos

Metodologia FEL – Método dos Portões

44 Comentários Stonner 17.02.13

Bem-vindo ao novo

Blogtek

Seja notificado sempre que um novo conteúdo estiver disponível.

Loading...Loading...
Não se preocupe, não temos prática de enviar spam.
© 2013 - 2017 Blogtek.