Menu

O Conceito de Folgas no Planejamento

Stonner 7 Comentários 02.10.13 16799 Vizualizações Imprimir Enviar

Recentemente, vimos um post aqui no Blogtek sobre o Diagrama PERT, e sua importância para evidenciar as interdependências entre tarefas. Vimos também como calcular as datas mais cedo e mais tarde, de início e término de cada atividade. Hoje iremos ver o importante conceito de folgas. Se quiser ser notificado dos próximos artigos, cadastre seu e-mail aqui ao lado, em Assine o Blogtek! SEU E-MAIL NÃO SERÁ USADO POR TERCEIROS.

Clique aqui e cadastre-se para receber uma notificação por email sempre que um novo artigo for postado

Seu email não será utilizado por terceiros nem para envio de spam.

O Conceito de Folga:

No artigo sobre Diagrama PERT, vimos como calcular as datas mais cedo e mais tarde, e fizemos este exercício de cálculo de datas para o diagrama abaixo:

Solução Completa

Solução Completa

Olhando para o diagrama, vemos que há algumas tarefas que iniciam ou terminam necessariamente em um determinado momento, como por exemplo a atividade H, enquanto outras, tais como a atividade K, tem flexibilidade com relação às datas de início e término. Intuitivamente, dizemos que tais atividades tem “folga”.

Folga Livre e Folga Total:

Ainda que intuitivamente se perceba que há esta “folga”, é importante notar que há vários tipos de folga, e é necessário conhecê-las e classificá-las, bem como saber para que servem.

Toda atividade tem basicamente quatro “datas” associadas: a data mais cedo de início (vamos simbolizá-la por +Ci), a data mais tarde de início (+Ti), a data mais cedo de fim (+Cf) e a data mais tarde de fim (+Tf). E cada atividade tem a sua duração, a qual iremos representar por “d”.

Os diferentes tipos de Folga

Os diferentes tipos de Folga

Se considerarmos o maior intervalo disponível para a execução da atividade, teremos (+Tf) – (+Ci). Subtraindo deste intervalo a duração da atividade “d”, teremos a chamada Folga Total, que é a maior folga disponível.

A Folga Livre é obtida subtraindo a duração “d” do intervalo entre as datas mais cedo: (+Cf) – (+Ci).

A Folga Total e a Folga Livre são as mais importantes.

A Folga Dependente é obtida subtraindo a duração “d” do intervalo entre as datas mais tarde: (+Tf) – (+Ti).

Considerando o menor intervalo disponível para a execução da atividade, teremos (+Cf) – (+Ti). Subtraindo deste intervalo a duração “d” da atividade, teremos a chamada Folga Independente, que é a menor folga existente. Raramente encontramos esta folga, e frequentemente ela é negativa.

Em que são usadas as Folgas?

Normalmente, ao construirmos o cronograma, todas as atividades são alocadas se iniciando em sua data mais cedo. Este acúmulo de atividades pode gerar picos de recursos, ou má distribuição (irregular) ao longo do período de realização:

Distribuição irregular de recursos: todas as atividades começando na data mais cedo

Distribuição irregular de recursos: todas as atividades começando na data mais cedo

No entanto, como as atividades possuem folga, isto significa que algumas delas podem ser deslocadas ao longo de suas folgas, sem impactar o prazo final, e permitindo uma melhor e mais regular distribuição dos recursos ao longo do prazo. A isto chamamos de nivelamento de recursos, conceito que já vimos aqui no Blogtek (O Conceito de Nivelamento):

Atividades niveladas: otimização do uso dos recursos

Atividades niveladas: otimização do uso dos recursos

Observe que a Folga Total é a MAIOR folga disponível, portanto, ao usar a Folga Total no processo de nivelamento, teremos maior mobilidade, e portanto maior possibilidade de otimizar a distribuição dos recursos. Em compensação, eventualmente ao consumirmos a folga total, as tarefas subsequentes iniciarão em suas datas mais tarde, diminuindo a flexibilidade, ou seja, aumentando a criticidade do projeto.

Ao usar a Folga Livre, por termos menos espaço para deslocarmos as tarefas, podemos não atingir os mesmos níveis de otimização de recursos que obteríamos ao usar a Folga Total. Porém, ao consumirmos a Folga Livre, as tarefas subsequentes continuam podendo iniciar-se nas datas mais cedo, sem portanto aumentar a criticidade do projeto.

Eis o cálculo das Folgas Totais para o Diagrama de Precedências mostrado no início do artigo:

Folgas Totais

Folgas Totais

A pergunta que provavelmente o aflige: o Project, o Primavera, os softwares de planejamento, não fazem isto para mim?

Sim, porém não se trata apenas de apertar um botão ou dar um clique. Como poderemos ver em próximos artigos utilizando o MS-Project, há uma série de instruções e definições a serem tomadas pelo usuário antes do Project (ou qualquer outro software de planejamento) executar o nivelamento. Então, é importante conhecer os conceitos. O Software de Planejamento não ode ser uma Caixa-Preta, da qual você não tem a menor ideia de como se processa o planejamento. Conhecer os conceitos é fundamental!

Leia também o blog do Samyr Abdo: http://samyrabdo.com.br/2013/08/09/desvendando-o-metodo-do-caminho-critico/#more-128

Incoming search terms:

  • tipos de folga
  • folga livre e folga total
  • o que significa folga total de uma atividade
  • tipos de folgas
  • tipos d folga
  • oq é folga
  • o que são folgad em projetos
  • folga livre pert cpm
  • folga total no cronograma de mozartt
  • FOLGA TOTAL

Clique aqui e cadastre-se para receber uma notificação por email sempre que um novo artigo for postado

Seu email não será utilizado por terceiros nem para envio de spam.

Stonner

Rodolfo Stonner, Engenheiro Mecânico pela UFRJ, atuou como Engenheiro de Equipamentos Sênior da Petrobras, e foi Gerente de Construção e Montagem das Obras Extramuros da Refinaria Abreu e Lima (RNEST), em Pernambuco. Atualmente aposentado, é consultor e instrutor nas áreas de Gerenciamento de Projetos e Gestão da Manutenção, e está atuando com a Deloitte na implantação do PMO para a Refinaria de Talara, Peru. Gosta de lecionar, trocar experiências e conhecimentos, é certificado como PMP (Project Management Professional) e RMP (Risk Management Professional) pelo PMI, e CRE (Certified Reliability Engineer) pela ASQ.

DEIXE O SEU COMENTÁRIO

  • Josinaldo Lima

    Fica muito mais objetivo com a justaposição dos gráficos de recursos!

    — Tive oportunidade de acompanhar este aspecto da gestão do tempo (folgas), na prática, em obra de refinaria e, como bem frisou o mestre Stonner, o alinhamento propiciado ao financeiro é de extremo benefício nos fluxos de caixa, principalmente nos projetos com características de grande dispersão física e altíssimo custo.
    — Algumas empresas executantes, entretando, por vaidades individuais e baixa percepção dos seus acionistas, continuam gerindo seus “complexos pacotes de serviços” sem a devida divisão por SUBPROJETOS, anulando toda autonomia e poder decisório dos níveis técnicos.
    — O prejuízo elevado quanto aos riscos oriundos do elevado turnover, neste cenário, anulam todos os benefícios dos demais processos, inclusive da boa gestão das folgas e todos os seus aspectos.

    Saudações.
    No aguardo dos novos posts.

  • Obrigado, Josinaldo! Estou preparando uma série de posts sobre conceitos fundamentais do Planejamento. Alguns já publiquei, tais como: Conceito de Nivelamento, datas mais cedo e mais tarde. Conto com suas visitas e comentários!

  • Odair Ramos Santtos

    Stonner muito bom como sempre é bem didático. No passado na extinta Cosipa, utilizamos o PERT-CPM com calendários com isso a facilidade de definirmos os desvios e as respectivas folgas relacionado ao Programado c/ Executado.

    Odair

  • henrique

    olá, muito bom o poste, quando tiver mais sobre o assunto quero poder particiapr

  • Com certeza, você estará sempre informado das atualizações, Henrique!

  • Luciano Lima

    Oi Stonner. Eu fiquei com uma dúvida na explicação acima.
    O momento (+Cf) não é sempre igual a (+Ci) + d e o momento (+Ti) não é sempre igual a (+Tf) – d?
    Eu entendia que essas afirmativas eram sempre verdadeiras, então se eu subtrair ‘d’ de (+Cf) – (+Ci) ou de (+Tf) – (+Ti) o resultado seria sempre igual a zero. Mas você disse acima que que essas operações resultariam na folga livre e na folga dependente, respectivamente.
    Eu pensava que a folga livre era a folga de cada atividade tem para iniciar ou terminar mais tarde sem modificar o início de qualquer atividade futura, inclusive as não críticas. E que a folga total era uma folga de uma determinada cadeia de tarefas que podem ser modificadas sem prejudicar o prazo total do projeto, mas que pode eliminar as folgas livres de algumas tarefas específicas, tornando-as críticas. Tô todo errado?
    Abraço.

  • Olá, Luciano! Se analisarmos uma tarefa que tem uma única sucessora e uma única predecessora você está correto. Mas o fato é que as tarefas frequentemente tem múltiplas predecessoras e sucessoras, que impactam nas datas mais cedo e/ou mais tarde.

Publicidade

Gerenciamento de Projetos

Síndrome do estudante – procrastinação

Comente Stonner 20.11.17
Liderança e Gestão

Planejamento de cenários – estratégia na incerteza

Comente Stonner 13.11.17
Gerenciamento de Projetos

O projeto como parte do negócio – PMBOK Guide sexta edição

Comente Stonner 06.11.17
Gerenciamento de Projetos

Lei de Parkinson – expansibilidade do trabalho

1 Comentário Stonner 30.10.17
Gerenciamento de Projetos

Joint Confidence Level (JCL) – análise simultânea de custo e prazo

2 Comentários Stonner 23.10.17

Gerenciamento de Projetos

MS-Project – Dicas e Pegadinhas (Tips & Tricks)

83 Comentários Stonner 28.04.13
Liderança e Gestão

Seis regras testadas para vencer discussões (Les Giblin)

61 Comentários Stonner 01.12.14
Gestão da Manutenção

O Planejamento de uma Parada de Manutenção – Parte 1

61 Comentários Stonner 05.05.13
Atualidades

O que o biquíni esconde e o custo das novas refinarias…

56 Comentários Stonner 17.04.13
Gerenciamento de Projetos

Metodologia FEL – Método dos Portões

44 Comentários Stonner 17.02.13

Bem-vindo ao novo

Blogtek

Seja notificado sempre que um novo conteúdo estiver disponível.

Loading...Loading...
Não se preocupe, não temos prática de enviar spam.
© 2013 - 2017 Blogtek.