Menu

Metodologia dos Portões – Indicadores

Stonner 2 Comentários 21.07.13 3212 Vizualizações Imprimir Enviar

Vimos em artigo anterior aqui no Blogtek a Metodologia dos Portões, a qual busca garantir que em cada fase do Projeto sejam executadas as coisas certas, nem mais (o que seria desperdício de recursos), nem menos (há um conteúdo mínimo a ser atingido). Neste artigo, iremos descrever os processos de aferição da evolução da metodologia dos Portões.

Clique aqui e cadastre-se para receber uma notificação por email sempre que um novo artigo for postado

Seu email não será utilizado por terceiros nem para envio de spam.

 

Metodologia dos Portões – principais organizações

Há duas principais instituições, reconhecidas internacionalmente pelo mercado, que se propõem a auxiliar as empresas a trabalhar com a Metodologia dos Portões. São o IPA (Independent Project Analysis) e o CII (Construction Industry Institute). Ambas usam o princípio Front-End, termo em Inglês que pode suscitar dúvidas, pois a palavra End é frequentemente traduzida como Fim, Término, e neste caso a expressão ficaria sem sentido (Frente do Fim?), porém a expressão End significa também Extremidade, portanto Front-End seria a extremidade inicial. O IPA utiliza a expressão FEL (Front End Loading) e o CII usa a expressão FEP (Front End Planning), logo ambas as expressões significam Planejamento ou Carregamento pelo Início, ou seja, nada mais simples do que fazer as coisas na ordem correta.

O CII utiliza o seguinte esquema:

Metodologia dos Protões: CII

Metodologia dos Protões: CII

Enquanto o IPA usa um esquema similar:

Metodologia dos Portões: IPA

Metodologia dos Portões: IPA

Metodologia dos Portões – FEL Index

O FEL Index considera três fatores, conforme a figura abaixo:

Metodologia dos Portões: FEL Index

Metodologia dos Portões: FEL Index

Os Fatores Locais são avaliados com base no conhecimento disponível sobre:

  • Custo e produtividade da mão de obra local
  • Disponibilidade de Materiais
  • Layout dos equipamentos
  • Dados de Solo
  • Requisitos Ambientais
  • Requisitos legais

A Definição do Projeto é avaliada com base no adequado desenvolvimento de:

  • Tarefas de Engenharia
    • Detalhamento de Escopo
    • Propriedades da carga e dos produtos
    • Diagramas e Fluxogramas
    • Especificações dos Principais Equipamentos
    • Estimativa de Custo
    • Envolvimento e Comprometimento de:
      • Operações
      • Manutenção
      • Administração

O Plano de Execução do Projeto é definido com base em:

  • Estratégia de Contratação
  • Matriz de Atribuições e Responsabilidades
  • Cronograma Integrado
    • Definição do Caminho crítico
    • Carregamento de recursos
    • Detalhamento de tarefas
    • Planos
      • Comissionamento
      • Operações
      • Partida
      • Gerenciamento do Risco
      • Controles de Prazo e Custo

Observe que Mais não significa necessariamente Mais. Ou seja, cada um destes itens deve estar adequado à Fase do Projeto. Por exemplo, ter um Cronograma detalhado na fase de Projeto Conceitual significa que foi dispendido trabalho desnecessário, e muito provavelmente em boa parte inútil, pois nesta fase não temos dados suficientes para fazer um Cronograma detalhado, o qual portanto terá que ser refeito oportunamente.

Metodologia dos Portões: Pontuação do FEL Index

Metodologia dos Portões: Pontuação do FEL Index

Metodologia dos Portões – PDRI (Project Development Rating Index)

O PDRI é a métrica utilizada pelo CII para avaliação de projetos, é subdividida em índices para Projetos Industriais, Construções e Obras de Infraestrutura. O PDRI para Projetos Industriais tem sido utilizado por empresas tais como 3M, US Steel, Anheuser-Busch, Cargill, Air Products, Elf Atochem, Colectric, Jacobs, S&B Engineers, OPG, KBR, Norsk Hydro, PDVSA, Washington Group, etc.

O cálculo do PDRI é também baseado em três componentes:

Seção I: Basis of Project Decision

– Cinco categorias, 22 elementos

–Visão do “Right project”

Seção II: Front End Definition

– Seis categorias, 33 elementos

–Visão do  “Right product”

Seção III: Execution Approach

– Quatro categorias, 15 elementos

– Visão do “Right way”

Metodologia dos Portões: composição do PDRI para Projetos Industriais

Metodologia dos Portões: composição do PDRI para Projetos Industriais

Cada um destes 70 elementos possuem pesos diferentes, e são julgados conforme:

0 = Não Aplicável                            1 = Definição Completa                2 = Pequenas deficiências

3 = Algumas deficiências               4 = Grandes deficiências            5 = Incompletas ou pobres

Metodologia dos Portões: Pontuação do PDRI

Metodologia dos Portões: Pontuação do PDRI

Portanto, também para o PDRI, quanto menor o Índice, melhor.

Para ser notificado dos próximos artigos, cadastre seu e-mail no topo da página, à direita, em Assine o Blogtek!. SEU E-MAIL NÃO SERÁ USADO POR TERCEIROS.

Incoming search terms:

  • x video atigindo o p g

Clique aqui e cadastre-se para receber uma notificação por email sempre que um novo artigo for postado

Seu email não será utilizado por terceiros nem para envio de spam.

Stonner

Rodolfo Stonner, Engenheiro Mecânico pela UFRJ, atuou como Engenheiro de Equipamentos Sênior da Petrobras, e foi Gerente de Construção e Montagem das Obras Extramuros da Refinaria Abreu e Lima (RNEST), em Pernambuco. Atualmente aposentado, é consultor e instrutor nas áreas de Gerenciamento de Projetos e Gestão da Manutenção, e está atuando com a Deloitte na implantação do PMO para a Refinaria de Talara, Peru. Gosta de lecionar, trocar experiências e conhecimentos, é certificado como PMP (Project Management Professional) e RMP (Risk Management Professional) pelo PMI, e CRE (Certified Reliability Engineer) pela ASQ.

DEIXE O SEU COMENTÁRIO

  • dilma

    Olá Mestre!
    Um destaque importante o aspecto de instituir métricas, em todas as fases do projeto.
    Obrigada pelo esclarecimento
    Abs e incentivos para a continuidade do trabalho tão útil para nossa comunidade

  • Valeu, Dilma!! Estava sentindo falta de seus comentários!!!!!

Publicidade

Gerenciamento de Projetos

Contratos EPC e EPCM – diferenças, vantagens e desvantagens

Comente Stonner 18.09.17
Liderança e Gestão

Diagrama Matricial – uma das sete ferramentas de gerenciamento

Comente Stonner 11.09.17
Gestão da Manutenção

O elo frágil da Gestão de Ativos

Comente Stonner 04.09.17
Gerenciamento de Projetos

Avalie a Comunicação em sua empresa ou organização

Comente Stonner 28.08.17
Gerenciamento de Projetos

Gerenciamento das Partes Interessadas

Comente Stonner 21.08.17

Gerenciamento de Projetos

MS-Project – Dicas e Pegadinhas (Tips & Tricks)

83 Comentários Stonner 28.04.13
Liderança e Gestão

Seis regras testadas para vencer discussões (Les Giblin)

61 Comentários Stonner 01.12.14
Gestão da Manutenção

O Planejamento de uma Parada de Manutenção – Parte 1

61 Comentários Stonner 05.05.13
Atualidades

O que o biquíni esconde e o custo das novas refinarias…

56 Comentários Stonner 17.04.13
Gerenciamento de Projetos

Metodologia FEL – Método dos Portões

44 Comentários Stonner 17.02.13

Bem-vindo ao novo

Blogtek

Seja notificado sempre que um novo conteúdo estiver disponível.

Loading...Loading...
Não se preocupe, não temos prática de enviar spam.
© 2013 - 2017 Blogtek.