Menu

O Método de Mudge

Stonner 8 Comentários 19.03.14 5269 Vizualizações Imprimir Enviar

Método de Mudge: ao longo do processo decisório, elencamos diversos aspectos a serem contemplados. Já vimos aqui no Blogtek uma maneira de fazer esta análise, através do AHP: Analytical Hierarchy Process. Veremos hoje outro método para compararmos e priorizarmos diferentes atributos, conhecido como Método de Mudge.  Se você quiser ser notificado dos próximos artigos, cadastre seu e-mail aqui ao lado, em Assine o Blogtek! SEU E-MAIL NÃO SERÁ USADO POR TERCEIROS.

Clique aqui e cadastre-se para receber uma notificação por email sempre que um novo artigo for postado

Seu email não será utilizado por terceiros nem para envio de spam.

Método de Mudge – conceito

Uma determinada empresa tem uma carteira de possíveis projetos a serem executados. Evidentemente, como os recursos são finitos, deverá ser feita uma escolha dentre os diversos projetos, de acordo com critérios de importância.

A empresa tem uma relação de critérios para a seleção, tais como:

A – Contribuição para a marca

B – Retorno financeiro

C – Menor CAPEX (investimento de capital requerido)

D – Integração com unidades existentes

E – Menor OPEX (despesas operacionais)

F – Menor efetivo (pessoal) requerido para operar a nova planta

Cada um dos projetos será avaliado com relação a todos estes requisitos. No entanto, fica a dúvida: como compará-los? Dentre estes atributos, quais os de maior relevância?

Método de Mudge – aplicação

O método de Mudge consiste em construir uma matriz triangular, como abaixo, e comparar cada elemento da diagonal com o elemento de cada coluna. A letra correspondente ao elemento de maior importância será reproduzida na célula de interseção, acompanhada de um número, que representa:

1 – moderadamente mais importante

3 – medianamente mais importante

5 – muito mais importante

Desta forma, a Matriz abaixo indica que o atributo C é medianamente mais importante que o atributo A, o atributo B é muito mais importante que o atributo E, e o atributo D é um pouco mais importante do que o atributo F.

 

Método de Mudge - critério de preenchimento

Método de Mudge – critério de preenchimento

Completando toda a Matriz, poderíamos ter algo como segue:

Método de Mudge - matriz preenchida

Método de Mudge – matriz preenchida

Agora, iremos fazer a totalização de pontos, somando os valores associados a cada letra da diagonal. Por exemplo, a pontuação do atributo C será correspondente à soma de todos os números associados à letra C da diagonal, na linha e coluna correspondentes, como ilustra a figura:

Método de Mudge - cálculo da pontuação do atributo

Método de Mudge – cálculo da pontuação do atributo

Completando toda a Matriz, e fazendo a ponderação de cada total em relação ao total geral, teremos:

Método de Mudge - atributos priorizados

Método de Mudge – atributos priorizados

Isto significa que o atributo mais importante para avaliar o projeto é o B, Retorno Financeiro, seguido bem de perto do E, OPEX – Despesas Operacionais, e depois do C, CAPEX, Investimento requerido.

Se você quiser ser notificado dos próximos artigos, cadastre seu e-mail aqui ao lado, em Assine o Blogtek! SEU E-MAIL NÃO SERÁ USADO POR TERCEIROS.

Incoming search terms:

  • O que é matriz mudge?
  • metodologia de mudge
  • METODO MUDGE
  • metdo mudge
  • Como explicar a matriz mudge
  • matriz de mudge
  • lista dos contemplados ahp
  • mrtodo mudge
  • mrtodo mudge maut
  • mrtodo mudge trabalho

Clique aqui e cadastre-se para receber uma notificação por email sempre que um novo artigo for postado

Seu email não será utilizado por terceiros nem para envio de spam.

Stonner

Rodolfo Stonner, Engenheiro Mecânico pela UFRJ, atuou como Engenheiro de Equipamentos Sênior da Petrobras, e foi Gerente de Construção e Montagem das Obras Extramuros da Refinaria Abreu e Lima (RNEST), em Pernambuco. Atualmente aposentado, é consultor e instrutor nas áreas de Gerenciamento de Projetos e Gestão da Manutenção, e está atuando com a Deloitte na implantação do PMO para a Refinaria de Talara, Peru. Gosta de lecionar, trocar experiências e conhecimentos, é certificado como PMP (Project Management Professional) e RMP (Risk Management Professional) pelo PMI, e CRE (Certified Reliability Engineer) pela ASQ.

DEIXE O SEU COMENTÁRIO

  • Ronildo Oliveira

    Muito bom.
    Aqui na empresa utilizamos outra metodologia (matriz de criticidade com probabilidade e impacto do evento que se propõe a mitigar), mas que tem o mesmo objetivo das demais análises, que é classificar quais os investimentos deverão ser implantados em primeiro momento.
    Os novos padrões e métodos existentes hoje na engenharia, quando bem executados, trazem resultados eficientes e consistentes para a organização, desprendendo também de menor energia para sua implantação.

    Saudações!

  • alexandre lopes

    Este conceito é semelhante ao método da logica fuzze

  • André de Pauli

    Me faltou melhor compreensão para o valor atribuido ao total de B.
    Me parece que seria 17, seguindo a mesma lógica dos demais totais.
    Aonde está meu erro de interpretação?

    Grato

  • Josinaldo Lima

    Excelente demonstração.
    Sabemos se tratar de dados fictícios, meramente ilustrativos para a objetividade desta MARAVILHOSA explanação .

    No entanto, após longa observação em diversas tipologias de grandes obras, reunimos vários aspectos em artigo de TCC que advertem fortemente quanto a importância do item F (efetivo) para a eficácia na mitigação de riscos, bem como na saúde financeira de diversos projetos.
    Se possivel professor Stonner, aborde um pouco essa variável da quantificação do contingente humano.

    Continuamos na expectativa de novos assuntos.

  • Tem razão, André, falha minha, irei providenciar a correção. Bom saber que o Blogtek tem leitores atentos que não deixam passar os equívocos!!! Grato!!

  • Ok, Josinaldo, buscarei desenvolver o tema. No entanto, como você observou muito corretamente, neste caso, os dados são fictícios. Obrigadfo!!

  • Pingback: blogtek.com.brÍndice de artigos do Blogtek - blogtek.com.br()

  • fernando

    Só passando pra agradecer e parabenizá-lo pelo trabalho na blogtek, nos ajuda muito são artigos
    Att.

Publicidade

Gerenciamento de Projetos

Contratos EPC e EPCM – diferenças, vantagens e desvantagens

Comente Stonner 18.09.17
Liderança e Gestão

Diagrama Matricial – uma das sete ferramentas de gerenciamento

Comente Stonner 11.09.17
Gestão da Manutenção

O elo frágil da Gestão de Ativos

Comente Stonner 04.09.17
Gerenciamento de Projetos

Avalie a Comunicação em sua empresa ou organização

Comente Stonner 28.08.17
Gerenciamento de Projetos

Gerenciamento das Partes Interessadas

Comente Stonner 21.08.17

Gerenciamento de Projetos

MS-Project – Dicas e Pegadinhas (Tips & Tricks)

83 Comentários Stonner 28.04.13
Liderança e Gestão

Seis regras testadas para vencer discussões (Les Giblin)

61 Comentários Stonner 01.12.14
Gestão da Manutenção

O Planejamento de uma Parada de Manutenção – Parte 1

61 Comentários Stonner 05.05.13
Atualidades

O que o biquíni esconde e o custo das novas refinarias…

56 Comentários Stonner 17.04.13
Gerenciamento de Projetos

Metodologia FEL – Método dos Portões

44 Comentários Stonner 17.02.13

Bem-vindo ao novo

Blogtek

Seja notificado sempre que um novo conteúdo estiver disponível.

Loading...Loading...
Não se preocupe, não temos prática de enviar spam.
© 2013 - 2017 Blogtek.