Menu

Improdutividade e Impeditividade

Stonner 3 Comentários 04.06.14 2783 Vizualizações Imprimir Enviar

Improdutividade e Impeditividade: vimos recentemente um artigo do engenheiro e economista Luiz Estima, acerca destes temas, e os números associados a estas improdutividade e impeditividade assustaram muitos leitores do Blogtek. Iremos discorrer um pouco mais sobre o assunto.  Se você quiser ser notificado dos próximos artigos, cadastre seu e-mail aqui ao lado, em Assine o Blogtek! SEU E-MAIL NÃO SERÁ USADO POR TERCEIROS.

Clique aqui e cadastre-se para receber uma notificação por email sempre que um novo artigo for postado

Seu email não será utilizado por terceiros nem para envio de spam.

 

Improdutividade e impeditividade – conceitos

ID-100239630Segundo o dicionário, improdutivo é o que não produz. No entanto, em termos de trabalho, improdutivo não é apenas o que não produz, mas o que produz abaixo do esperado.

Diversos fatores podem contribuir para diminuir a produtividade: logística dos serviços (deslocamentos, disponibilização de materiais, etc.), ineficiência dos trabalhadores ou de equipamentos, clima, greves, treinamentos, diálogos de segurança, necessidades físicas, e outros.

O professor Aldo Dores Mattos, mencionado pelo Estima (http://blogs.pini.com.br/posts/Engenharia-custos/o-impacto-das-impeditividades-no-orcamento-308154-1.aspx) também caracteriza o que chama de impeditividades: Muitos clientes públicos e privados caracterizam-se pelo rigor com que tratam questões de meio ambiente, qualidade, saúde e segurança do trabalho em seus contratos de obra. Essas companhias, entre as quais se destacam Petrobras, Vale e outros grupos industriais, impõem vários requisitos organizacionais no que diz respeito a contratação, treinamento, acesso ao local da obra, exames de saúde, rotinas de comunicação diária, etc.

 Improdutividade e impeditividade – impactos

ID-100211370Quando é mencionada uma impeditividade da ordem de 37,5%, excluídos aspectos de clima, assusta muita gente. De fato, o número é elevado, porém há que se ter cuidado, pois nossas referências normalmente são de fábricas, com produção seriada, onde a produtividade é bem maior, pelas características do trabalho.

Em uma Obra, de montagem ou manutenção, a produção NÃO é seriada. Em determinados momentos, os soldadores estarão relativamente ociosos, pois andaimes estão sendo montados, chapas estão sendo transportadas e posicionadas… em outros momentos, os andaimes estarão montados, sendo necessário apenas pequenas modificações e adequações, e neste caso os montadores de andaimes estarão em relativa ociosidade.

Ou seja, há picos e vales nos histogramas de distribuição de recursos. Por isso mesmo, para diminuir estes picos e vales, é que se executa o processo de nivelamento de recursos, já mencionado aqui no Blogtek.

Evidentemente, cabe ao Gerente da Obra, seus supervisores, buscarem otimizar a alocação dos recursos, buscando atividades que possam ser executadas pelo pessoal mais ocioso em determinado momento. O Planejamento e Nivelamento de Recursos evidentemente não chega ao nível de detalhe do que ocorre o tempo todo na Obra. Ainda assim, haverá ociosidade.

Porém, ao planejar a Obra, com sua respectiva logística, é fundamental buscar diminuir estas improdutividades, como veremos a seguir.

Improdutividade e Impeditividade – minimizando os impactos

ID-10091011Muitos serviços em uma Obra são realizados em locais com dificuldade de acesso: altos, dentro de equipamentos, etc. Prover o máximo de apoio aos trabalhadores, disponibilizando, na medida do possível, água, café, adequada exaustão e ventilação, sanitários químicos, facilidades de acesso (elevadores, passarelas entre frentes de serviço) é uma maneira eficaz para reduzir a improdutividade.

O diálogo de segurança é importante, porém muitas vezes mal utilizado: longo demais, não focado nos aspectos de segurança das atividades que serão executadas naquele dia, muitas vezes se resumindo a orações (sem entrar no debate religioso, é importante notar que este não é o foco do diálogo de segurança). Então, é necessário treinar os supervisores para tornarem os diálogos de segurança curtos e eficazes.

Disponibilizar materiais de uso frequente na proximidade da frente de serviços, e antecipar a entrega de materiais que serão utilizados brevemente também contribui para a redução da improdutividade.

Improdutividade e Impeditividade – e o cigarro?

ID-100142314Há diferentes opiniões acerca de permitir ou não o fumo, principalmente em indústrias químicas e de petróleo.

Como não fumante, gostaria de poder optar por não permitir o fumo em um ambiente industrial. Porém, rendo-me ao pragmatismo, e reconheço a importância dos “fumadouros”.

É porque o vício do cigarro é tão forte que, se proibido, isto não irá fazer com que os fumantes não fumem, mas irão fazê-lo escondido, e certamente nos locais MENOS adequados e MAIS perigosos.

Eu pessoalmente participei de uma investigação de um acidente em que um grupo de serventes fazia a limpeza de um teto flutuante, em um tanque “Maracanã”, com capacidade de 550 mil barris. Subitamente irrompeu um fogo no chamado selo PW, que faz a vedação entre o costado e o teto flutuante. Evidentemente, não é uma vedação estanque e o fogo surgiu próximo à garrafa térmica de café, onde um dos serventes havia tomado um gole de café…. adivinhem!!! O fogo foi extinto pela atuação do sistema de espuma, e ao ser feita a apuração, encontrou-se um cigarro inteiro, pisado, mas via-se nitidamente que o cigarro tinha sido aceso…

Breve publicaremos artigos sobre o assunto. Se você quiser ser notificado dos próximos artigos, cadastre seu e-mail aqui ao lado, em Assine o Blogtek! SEU E-MAIL NÃO SERÁ USADO POR TERCEIROS.

Incoming search terms:

  • Cirrago pini
  • ociosidade e improdutividade prestação de serviço

Clique aqui e cadastre-se para receber uma notificação por email sempre que um novo artigo for postado

Seu email não será utilizado por terceiros nem para envio de spam.

Stonner

Rodolfo Stonner, Engenheiro Mecânico pela UFRJ, atuou como Engenheiro de Equipamentos Sênior da Petrobras, e foi Gerente de Construção e Montagem das Obras Extramuros da Refinaria Abreu e Lima (RNEST), em Pernambuco. Atualmente aposentado, é consultor e instrutor nas áreas de Gerenciamento de Projetos e Gestão da Manutenção, e está atuando com a Deloitte na implantação do PMO para a Refinaria de Talara, Peru. Gosta de lecionar, trocar experiências e conhecimentos, é certificado como PMP (Project Management Professional) e RMP (Risk Management Professional) pelo PMI, e CRE (Certified Reliability Engineer) pela ASQ.

DEIXE O SEU COMENTÁRIO

  • Luiz Estima

    Perfeito Stonner. Improdutividade e impeditividade são de fato fundamentais para se planejar qualquer obra!
    Especificamente sobre fumantes, focando apenas no aspecto relacionado a perda de tempo devido à impeditividades, não vejo diferença entre a perda de tempo para um cigarro e a perda de tempo para orações, por exemplo. As duas atividades, fumar e orar, são meras perdas de produtivididade para o empreendedor. Para se calcular as perdas por impeditividades, é preciso saber quanto tempo se perde fumando ou orando.

  • Pingback: blogtek.com.brÍndice de artigos do Blogtek - blogtek.com.br()

  • Manuel Charles Araujo

    Normalmente eu aplico um fator de nivelamento de 70% por conta da impeditividade e improdutivida.

Publicidade

Liderança e Gestão

Planejamento de cenários – estratégia na incerteza

Comente Stonner 13.11.17
Gerenciamento de Projetos

O projeto como parte do negócio – PMBOK Guide sexta edição

Comente Stonner 06.11.17
Gerenciamento de Projetos

Lei de Parkinson – expansibilidade do trabalho

Comente Stonner 30.10.17
Gerenciamento de Projetos

Joint Confidence Level (JCL) – análise simultânea de custo e prazo

2 Comentários Stonner 23.10.17
Gestão da Manutenção

7 desperdícios da produção (Lean Manufacturing)

Comente Stonner 16.10.17

Gerenciamento de Projetos

MS-Project – Dicas e Pegadinhas (Tips & Tricks)

83 Comentários Stonner 28.04.13
Liderança e Gestão

Seis regras testadas para vencer discussões (Les Giblin)

61 Comentários Stonner 01.12.14
Gestão da Manutenção

O Planejamento de uma Parada de Manutenção – Parte 1

61 Comentários Stonner 05.05.13
Atualidades

O que o biquíni esconde e o custo das novas refinarias…

56 Comentários Stonner 17.04.13
Gerenciamento de Projetos

Metodologia FEL – Método dos Portões

44 Comentários Stonner 17.02.13

Bem-vindo ao novo

Blogtek

Seja notificado sempre que um novo conteúdo estiver disponível.

Loading...Loading...
Não se preocupe, não temos prática de enviar spam.
© 2013 - 2017 Blogtek.