Menu

Diagrama Matricial – uma das sete ferramentas de gerenciamento

Stonner Comente 11.09.17 561 Vizualizações Imprimir Enviar

Diagrama Matricial: recentemente publicamos aqui no Blogtek um artigo intitulado “Sete ferramentas de gerenciamento” (seven management tools), as quais foram desenvolvidas ou selecionadas pela JUSE (Union of Japanese Scientists and Engineers) a partir de 1976, e nos comprometemos a detalhar cada uma delas em próximos artigos do Blogtek. Já discorremos sobre o Diagrama de Afinidade, o Diagrama de Inter-relações, o Diagrama de Árvore e hoje abordaremos o Diagrama Matricial. Se você quiser ser notificado dos próximos artigos, onde serão detalhadas estas ferramentas e outros tópicos de gerenciamento, cadastre seu e-mail aqui abaixo, em Assine o Blogtek! SEU E-MAIL NÃO SERÁ USADO POR TERCEIROS.

Clique aqui e cadastre-se para receber uma notificação por email sempre que um novo artigo for postado

Seu email não será utilizado por terceiros nem para envio de spam.

Diagrama Matricial – conceitos básicos

Em nossas atividades rotineira, de Gestão ou de Execução, frequentemente temos que estabelecer vínculos entre diferentes informações, o que, em princípio, soa fácil. E realmente é fácil, porém as dificuldades começam quando cada atributo se correlaciona não com um, mas com diversos outros atributos, e quando trabalhamos com diferentes grupos de atributos ou informações.

É para nos auxiliar a construir, qualificar e visualizar estas inter-relações entre informações, é que foi criado o conceito da Diagrama Matricial. Este diagrama pode ser construído em diversos formatos.

Diagrama Matricial em L

Este é o tipo mais elementar de Diagrama Matricial. Usualmente construído na forma de um L invertido, correlacionando linhas e colunas, como se vê no exemplo abaixo, relativo à oferta de algum tipo de serviço pela Internet.

Diagrama Matricial em L

Diagrama Matricial em L

Diagrama Matricial em T

Este Diagrama Matricial é útil para correlacionar três grupos de informação (A, B e C), onde A se relaciona com B e C, porém B e C não se inter-relacionam. Vejamos um exemplo, onde correlacionamos os empregados de um setor aos treinamentos que fizeram, e os resultados obtidos em termos de desempenho:

Diagrama Matricial em T

Diagrama Matricial em T

Neste exemplo (hipotético), o gestor pode inferir que o curso de Relacionamento Interpessoal teve efeito geralmente positivo nas vendas, enquanto que o curso de Gestão da Qualidade aparentemente não impactou significativamente os resultados de vendas.

Diagrama Matricial em Y

Este Diagrama Matricial é útil para correlacionar três grupos de informação (A, B e C), os quais se inter-relacionam. Este gráfico é pouco utilizado, mais pela dificuldade de construí-lo em uma planilha Excel.

Vemos a seguir um exemplo que inter-relaciona as métricas internas, os insumos do processo e os requisitos do cliente.

Diagrama Matricial em Y

Diagrama Matricial em Y

O Diagrama Matricial em Y poderia ser também construído como C (C de Cubo), onde se correlacionam os três grupos de atributo segundo as arestas de um cubo, mas isto não resolve o problema da dificuldade construtiva.

Diagrama Matricial em X ou em Cruz

Este Diagrama Matricial consiste em quatro matrizes em L, conjugadas de forma a se perceber as inter-relações entre quatro grupos de variáveis, como se vê a seguir.

Diagrama Matricial em cruz

Diagrama Matricial em cruz

No diagrama acima, pode-se perceber quais produtos cada localidade mais produz, quais produtos cada cliente compra em maior quantidade, quais transportadoras mais utilizadas pelos clientes para receber suas mercadorias, e quais transportadoras mais utilizadas por cada fábrica para receber matéria-prima.

Estaremos sempre abordando em detalhes aspectos de Liderança e Gestão, Gerenciamento de Projetos, Gestão da Manutenção nos próximos artigos do Blogtek. Para manter-se informado sobre os próximos artigos, cadastre seu e-mail em Assine o Blogtek! SEU E-MAIL NÃO SERÁ USADO POR TERCEIROS.

Clique aqui e cadastre-se para receber uma notificação por email sempre que um novo artigo for postado

Seu email não será utilizado por terceiros nem para envio de spam.

Stonner

Rodolfo Stonner, Engenheiro Mecânico pela UFRJ, atuou como Engenheiro de Equipamentos Sênior da Petrobras, e foi Gerente de Construção e Montagem das Obras Extramuros da Refinaria Abreu e Lima (RNEST), em Pernambuco. Atualmente aposentado, é consultor e instrutor nas áreas de Gerenciamento de Projetos e Gestão da Manutenção, e está atuando com a Deloitte na implantação do PMO para a Refinaria de Talara, Peru. Gosta de lecionar, trocar experiências e conhecimentos, é certificado como PMP (Project Management Professional) e RMP (Risk Management Professional) pelo PMI, e CRE (Certified Reliability Engineer) pela ASQ.

DEIXE O SEU COMENTÁRIO

Publicidade

Gerenciamento de Projetos

Contratos EPC e EPCM – diferenças, vantagens e desvantagens

Comente Stonner 18.09.17
Liderança e Gestão

Diagrama Matricial – uma das sete ferramentas de gerenciamento

Comente Stonner 11.09.17
Gestão da Manutenção

O elo frágil da Gestão de Ativos

Comente Stonner 04.09.17
Gerenciamento de Projetos

Avalie a Comunicação em sua empresa ou organização

Comente Stonner 28.08.17
Gerenciamento de Projetos

Gerenciamento das Partes Interessadas

Comente Stonner 21.08.17

Gerenciamento de Projetos

MS-Project – Dicas e Pegadinhas (Tips & Tricks)

83 Comentários Stonner 28.04.13
Liderança e Gestão

Seis regras testadas para vencer discussões (Les Giblin)

61 Comentários Stonner 01.12.14
Gestão da Manutenção

O Planejamento de uma Parada de Manutenção – Parte 1

61 Comentários Stonner 05.05.13
Atualidades

O que o biquíni esconde e o custo das novas refinarias…

56 Comentários Stonner 17.04.13
Gerenciamento de Projetos

Metodologia FEL – Método dos Portões

44 Comentários Stonner 17.02.13

Bem-vindo ao novo

Blogtek

Seja notificado sempre que um novo conteúdo estiver disponível.

Loading...Loading...
Não se preocupe, não temos prática de enviar spam.
© 2013 - 2017 Blogtek.