Menu

Cronograma – via de mão dupla

Stonner 12 Comentários 15.09.13 5867 Vizualizações Imprimir Enviar

O Cronograma sem dúvida é uma importantíssima ferramenta de planejamento. Transmite muito bem de forma visual as durações e prazos das atividades. No entanto, como toda ferramenta, é necessário que seja bem utilizado. Iniciamos aqui uma série de artigos sobre Planejamento. Se você quiser ser notificado dos próximos artigos, cadastre seu e-mail aqui ao lado, em Assine o Blogtek! SEU E-MAIL NÃO SERÁ USADO POR TERCEIROS.

Clique aqui e cadastre-se para receber uma notificação por email sempre que um novo artigo for postado

Seu email não será utilizado por terceiros nem para envio de spam.

 

Cronograma: uma via de mão dupla

Plan On Laptop Showing Careful Planning by Stuart MilesO Cronograma é fruto de muito trabalho, muita análise e ponderações. Junto com a Rede de Precedências e a Curva de Avanço, constituem as principais ferramentas do planejador.

Mas, apesar de todo o esforço em preparar o Cronograma, basta decorrer um breve período de tempo para que o Cronograma já esteja desatualizado. Não é falha do Planejador, é porque nenhum projeto jamais será executado exatamente conforme planejado.

Quantas vezes não nos deparamos com um belo cronograma (atualmente, os recursos do Project, Primavera e quaisquer outros softwares de planejamento propiciam tantas cores e efeitos…) afixado em uma parede de uma sala de reuniões, e, com uma curiosidade até meio mórbida, buscamos visualizar quão defasado o Cronograma está da realidade atual.

O Cronograma lá está, como que a demonstrar: “Veja como planejamos bem nosso projeto!!!”, exibido como um troféu, como um quadro de Picasso, ou um simples papel de parede…

Por falar em papel de parede, leiam o belo artigo do colega Paulo Cid, consultor de planejamento, em http://pmkb.com.br/papel-de-parede-ou-planejamento-do-projeto/ Para nós, trabalhando com planejamento há muitos anos, o artigo do Paulo Cid soa como a orquestra de Ray Conniff no meio de um baile funk… good old times!!!

O fato é que as atualizações do cronograma, tão difíceis há algum tempo, hoje, com as funcionalidades dos softwares de planejamento, são extremamente fáceis.

Cronograma: a atualização

3d Business Meeting by David Castillo DominiciPara que o cronograma não seja um papel de parede, é necessário permanentemente, dentro de um horizonte de tempo compatível com a dinâmica do nosso projeto, fazer o acompanhamento, ou seja, a atualização.

Para uma parada de manutenção, o acompanhamento do cronograma tem que ser diário. Para projetos de construção e montagem, dependendo da fase em que se encontre, o acompanhamento pode ser semanal ou mensal.

Mas é fundamental que o Planejador, seja indo ao campo, “in loco”, ou obtendo suas informações através de sua equipe, fidedigna, atualize o cronograma para que ele reflita a realidade.

Não fazer esta permanente atualização é que justifica o que o “peão” costumar dizer: “O papel aceita tudo”, “Planejamento não vale de nada”, “O que importa é fazer”…

Cronograma: atualizar e reprogramar

Tools Macro by Gualberto107Quando o planejador faz o acompanhamento do projeto, na adequada periodicidade, evidentemente irá encontrar atividades com andamento diverso daquele previsto. Deverá então lançar a realização de cada atividade, de forma consistente com as premissas de elaboração do planejamento (avanço físico realizado, Hh utilizado, custos, etc.).

É importante notar que a quantidade de homens-hora consumidos (Hh acumulado) NÃO representam o avanço físico. Uma atividade prevista para consumir 80 Hh, ter consumido 40 Hh não significa que esteja pela metade. Na verdade, o consumo de homens-hora, sem a completude da atividade, indica tão somente a improdutividade da equipe. Consumir Homens-hora não significa, necessariamente, avançar na realização da atividade.

Ok, isto posto, note que não basta REGISTRAR o avanço físico. Se determinada atividade deveria estar em 50%, e na realidade está em 20%, não basta registrar tal fato.

Na verdade, é função do planejador registrar que a atividade está em 20%, ao invés de 50%, e reprogramar esta atividade, e automaticamente todas aquelas que dependem desta atividade, para verificar os impactos no cronograma como um todo.

Cronograma inicial

Cronograma inicial

Cronograma com o progresso das atividades

Cronograma com o progresso das atividades

Cronograma com as atividades reprogramadas (reagendadas)

Cronograma com as atividades reprogramadas (reagendadas)

 

Cronograma: atuar nos desvios

Também não é função do Planejador apenas observar que os impactos do atraso em determinada(s) atividade(s) ocasionaram um atraso no projeto.

Há que se avaliar, de forma coerente e realista, o que pode ser feito:

  • Qual a dimensão do atraso?
  • Quais atividades foram impactadas?
  • Que atividades podem ser aceleradas (observe que não adianta acelerar atividades não críticas)?
  • O que fazer para acelerar: aumentar efetivo, aumentar turnos de trabalho (horas-extras), mudar o calendário de trabalho, buscar alternativas de execução (novos métodos, processos, equipamentos…)?
  • Qual o custo da aceleração de cada atividade?

A função mor do planejador é encontrar soluções, e não detectar problemas!!!

Leia também:

Sobre estimativas de tempos: http://ogerente.com/stakeholder/2009/12/30/melhorando-estimativas-de-tempo/

 

Incoming search terms:

  • como fazer um cronograma de um posto de gasolina?
  • cronograma de atividade
  • cronograma na mão
  • curvas de mao dupla

Clique aqui e cadastre-se para receber uma notificação por email sempre que um novo artigo for postado

Seu email não será utilizado por terceiros nem para envio de spam.

Stonner

Rodolfo Stonner, Engenheiro Mecânico pela UFRJ, atuou como Engenheiro de Equipamentos Sênior da Petrobras, e foi Gerente de Construção e Montagem das Obras Extramuros da Refinaria Abreu e Lima (RNEST), em Pernambuco. Atualmente aposentado, é consultor e instrutor nas áreas de Gerenciamento de Projetos e Gestão da Manutenção, e está atuando com a Deloitte na implantação do PMO para a Refinaria de Talara, Peru. Gosta de lecionar, trocar experiências e conhecimentos, é certificado como PMP (Project Management Professional) e RMP (Risk Management Professional) pelo PMI, e CRE (Certified Reliability Engineer) pela ASQ.

DEIXE O SEU COMENTÁRIO

  • É o que sempre falo, “não basta somente realizar um cronograma colorido, ele também tem que servir para algo”, e principalmente devemos sempre ter a obra na mão, quer dizer na CABEÇA, uma boa caminhada na obra as vezes vale por cem informações repassadas por auxiliares e supervisores tocadores de obra, afinal de contas devemos sempre estar a frente dos acontecimentos.

    Belo artigo professor!!!

  • Olá, Marcelo, de fato, planejador que não vai à área, está perdido!! Breve publicarei um artigo sobre os “pilotos do Project”…

  • Darlei Andrade

    Muito bom o artigo!!!

  • Pingback: blogtek.com.brLinhas de Balanço - ferramenta de planejamento - blogtek.com.br()

  • Pingback: blogtek.com.brCronograma de Marcos - blogtek.com.br()

  • Odilmar Junior

    Os planejadores devem está “dentro” da produção, literalmente dentro das obras.
    Essa presença e acompanhamento diário é de extrema importância e se faz muito necessário nos dias atuais. Observem que os profissionais que se destacam nessa nossa área, são os profissionais que conhecem a obra.
    Abraços.
    Sds.,
    Odilmar Junior

  • Paulo Roberto Araújo Cerqueira

    Sr. Rodolfo, trabalho na área de planejamento e gostaria de informações de como posso me aprofundar mais na disciplina planejamento.

  • Obrigado, Paulo Roberto. Estarei sempre publicando artigos sobre planejamento. Há outros blogs bastante interessantes: http://www.ricardo-vargas.com/pt/, http://www.pmtech.com.br/, http://blog.mundopm.com.br/category/melhores_praticas/riscos-melhores_praticas/

  • Marlos Alves

    Prezado Sr. Stonner,

    Sou estudante de pós-graduação de engenharia de inspeção e manutenção. Estou fazendo uma cadeira de comissionamento e meu trabalho é demonstrar todos os passos da montagem de um posto de gasolina, tais como:

    Montagem subterrânea dos tanques;
    montagem civil (02 ilhas, loja de conveniência, borracheiro, lava jato etc)
    testes etc

    Você teria um material para que eu possa estudar e me embasar como bibliografia?

    Att,
    Marlos Alves

  • Olá, Marlos, tenho bastante material na área de Construção e Montagem de unidades industriais, mas infelizmente nada na área de montagem de um posto de gasolina.

  • Pingback: blogtek.com.brPlanejamento e Programação - blogtek.com.br()

  • Pingback: blogtek.com.brMilestone Trend Analysis (MTA) - Análise da Tendência dos Marcos - blogtek.com.br()

Publicidade

Gerenciamento de Projetos

Síndrome do estudante – procrastinação

Comente Stonner 20.11.17
Liderança e Gestão

Planejamento de cenários – estratégia na incerteza

Comente Stonner 13.11.17
Gerenciamento de Projetos

O projeto como parte do negócio – PMBOK Guide sexta edição

Comente Stonner 06.11.17
Gerenciamento de Projetos

Lei de Parkinson – expansibilidade do trabalho

1 Comentário Stonner 30.10.17
Gerenciamento de Projetos

Joint Confidence Level (JCL) – análise simultânea de custo e prazo

2 Comentários Stonner 23.10.17

Gerenciamento de Projetos

MS-Project – Dicas e Pegadinhas (Tips & Tricks)

83 Comentários Stonner 28.04.13
Liderança e Gestão

Seis regras testadas para vencer discussões (Les Giblin)

61 Comentários Stonner 01.12.14
Gestão da Manutenção

O Planejamento de uma Parada de Manutenção – Parte 1

61 Comentários Stonner 05.05.13
Atualidades

O que o biquíni esconde e o custo das novas refinarias…

56 Comentários Stonner 17.04.13
Gerenciamento de Projetos

Metodologia FEL – Método dos Portões

44 Comentários Stonner 17.02.13

Bem-vindo ao novo

Blogtek

Seja notificado sempre que um novo conteúdo estiver disponível.

Loading...Loading...
Não se preocupe, não temos prática de enviar spam.
© 2013 - 2017 Blogtek.