Menu

Análise do Valor Agregado – Diagnóstico de Projetos

Stonner 15 Comentários 30.06.13 3861 Vizualizações Imprimir Enviar

A Análise do Valor Agregado é uma técnica, intensamente utilizada no Gerenciamento de Projetos, notadamente nos EUA, onde se busca controlar os principais objetivos do Projeto, Escopo, Prazo e Custo, como representado no triângulo abaixo, com a Qualidade no centro do triângulo:

Clique aqui e cadastre-se para receber uma notificação por email sempre que um novo artigo for postado

Seu email não será utilizado por terceiros nem para envio de spam.

EVM Triângulo

Mais recentemente, a Qualidade torna-se um vértice do quadrado (ou losango; nesta posição, chamado em Inglês de Diamond), juntamente com Escopo, Prazo e Custo, tem as expectativas do cliente no centro:

EVM Diamond

A curva do Valor Planejado (Planned Value – PV) e do Custo Real (Actual Cost – AC):

Ao se planejar a evolução de um projeto ao longo do tempo, os custos desembolsados para o cumprimento destas atividades formam uma curva a qual denominamos Planned Value.

À medida em que o Projeto vai sendo executado, incorremos em custos, e teremos a curva do Custo Real (Actual Cost – lembre-se que em Inglês Actual é sinônimo de Real, e não de Atual):

Que informações podemos tirar destas duas curvas???

Que informações podemos tirar destas duas curvas???

Mas, ainda que estes sejam os parâmetros mais visíveis, apenas estas duas curvas não nos dizem muita coisa acerca da performance do Projeto, seja em termos de Custo, seja em termos de Prazo.

Para melhor avaliarmos a Performance do Projeto, temos que conhecer o Conceito de Valor Agregado.

Valor Agregado – Definição:

Valor agregado é o valor efetivamente agregado ao Projeto, independente do quanto se gastou e quanto tempo se tenha dispendido .

É o somatório dos valores correspondentes aos itens concluídos, sejam eles na forma de “deliverables” (entregáveis) ou de unidades de produto.

Por exemplo, em determinada fase do projeto os deliverables são 500 P&ID’s, e para esta fase temos previstos US$100.000,00.

Imaginemos que em determinado momento já foram entregues 200 P&ID’s, então temos um valor agregado (Earned Value) de 200/500 = 40% de US$100.000,00 = US$40.000,00.

Isto independe de quanto já se gastou. Se já gastamos US$50.000,00 (este seria o Valor Real – Actual Cost), teremos gasto mais do que o orçado para obter estes US$40.000,00 de Valor Agregado. Porém, se gastamos US$30.000,00, agregamos mais do que gastamos (estamos usando bem nosso dinheiro…).

Observando a seguir um exemplo de gráfico de Valor Planejado (Planned Value – PV) e Valor Agregado (Earned Value – EV):

Valor Agregado ao Projeto

Valor Agregado ao Projeto

 

Fica claro que estamos agregando menos do que o planejado, portanto para executar o escopo levaremos mais tempo, ou seja, estamos atrasados (behind schedule).

Porém, observando os gráficos do Valor Agregado (Earned Value – EV) e do Custo Real (Actual Cost – AC), podemos perceber que estamos agregando mais do que gastamos, ou seja, estamos gastando bem nosso dinheiro, e estamos dentro do Orçamento.

Valor Agregado x Custo Real

Valor Agregado x Custo Real

 

Para uma melhor compreensão e para poder fazer melhor interpretações e projeções, temos que fazer algumas definições.

Valor Agregado – Conceitos:

Avaliação de Prazo

Iremos aqui definir alguns parâmetros para análise da performance em termos de prazo:

Schedule Variance (SV): 

É a diferença entre o Valor Agregado (EV) e o Valor Planejado (PV):

SV = EV – PV

Quando SV>0, significa que estamos agregando mais do que o planejado, portanto estamos adiantados, ou seja, no prazo.

Porém quando SV<0, significa que estamos obtendo (agregando) menos do que o planejado, portanto estamos atrasados.

Schedule Performance Index (SPI):

É definido como a razão entre o Valor Agregado (EV) e o Valor Planejado (PV):

SPI = EV/PV

Quando SPI>1, significa que estamos agregando mais do que o planejado, portanto estamos adiantados, ou seja, no prazo.

Porém quando SPI<1, significa que estamos obtendo (agregando) menos do que o planejado, portanto estamos atrasados.

São, portanto conceitos semelhantes, um expresso como diferença, outro como razão.

Avaliação de Custo

Iremos aqui definir alguns parâmetros para análise da performance em termos de custo:

Cost Variance (CV): 

É a diferença entre o Valor Agregado (EV) e o Valor Real (AC):

CV = EV – AC

Quando CV>0, significa que estamos agregando mais do que gastamos, portanto estamos gastando bem a verba, portanto, dentro do orçamento (under budget).

Porém quando CV<0, significa que estamos obtendo (agregando) menos do que gastamos, portanto não estamos empregando bem a verba disponível, ou seja teremos um orçamento ultrapassado (over budget).

Cost Performance Index (CPI):

É definido como a razão entre o Valor Agregado (EV) e o Valor Real (AC):

CPI = EV/PV

Quando CPI>1, significa que estamos agregando mais do que gastamos, portanto estamos gastando bem a verba, portanto, dentro do orçamento (under budget).

Porém quando CPI<1, significa que estamos obtendo (agregando) menos do que gastamos, portanto não estamos empregando bem a verba disponível, ou seja teremos um orçamento ultrapassado (over budget).

De forma similar aos parâmetros de avaliação de prazo, são portanto conceitos semelhantes, um expresso como diferença, outro como razão.

Valor Agregado – Exemplo:

Façamos uma análise das três curvas em conjunto, para o projeto acima ilustrado:

 

Valor Planejado, Valor Agregado e Custo Real

Valor Planejado, Valor Agregado e Custo Real

 

Observe que PV=810, EV=760 e AC=690.

Então, teremos para Análise de Prazo:

SV = EV – PV = 760 – 810 = -50 < 0, ou ainda,

SPI = EV/PV = 760/810 = 0,94 < 1

Portanto, estamos ATRASADOS.

Para a Análise de Custo, teremos:

CV = EV – AC = 760 – 690 = 70 > 0, ou ainda,

CPI = EV/AC = 760/690 = 1,10 > 1

Portanto, estamos DENTRO DO ORÇAMENTO.

Análise do Valor Agregado – Exemplo 2

Vamos avaliar o projeto cujas curvas estão representadas a seguir:

Valor Planejado, Valor Agregado e Custo Real

Valor Planejado, Valor Agregado e Custo Real

PV = 810    EV = 910    AC = 1020

Então, teremos para Análise de Prazo:

SV = EV – PV = 910 – 810 = 100 > 0, ou ainda,

SPI = EV/PV = 910/810 = 1,12 > 1

Portanto, estamos NO PRAZO (dentro do cronograma).

Para a Análise de Custo, teremos:

CV = EV – AC = 910 – 1020 = -110 < 0, ou ainda,

CPI = EV/AC = 910/1020 = 0,89 < 1

Portanto, estamos ACIMA DO ORÇAMENTO.

Análise do Valor Agregado – Exemplo 3

Vamos avaliar o projeto cujas curvas estão representadas a seguir:

Valor Planejado, Valor Agregado e Custo Real

Valor Planejado, Valor Agregado e Custo Real

PV = 810    EV = 910    AC = 710

Então, teremos para Análise de Prazo:

SV = EV – PV = 910 – 810 = 100 > 0, ou ainda,

SPI = EV/PV = 910/810 = 1,12 > 1

Portanto, estamos NO PRAZO (dentro do cronograma).

Para a Análise de Custo, teremos:

CV = EV – AC = 910 – 710 = 200 > 0, ou ainda,

CPI = EV/AC = 910/710 = 1,28 > 1

Portanto, estamos DENTRO DO ORÇAMENTO.

No próximo artigo sobre o assunto, iremos utilizar estes conceitos para fazer um PROGNÓSTICO sobre o futuro dos projetos analisados, e faremos alguns comentários sobre a visão da técnica de Análise do Valor Agregado. Para ser informado dos próximos artigos, cadastre seu e-mail no topo do Blogtek, à direita. SEU E-MAIL NÃO SERÁ USADO POR TERCEIROS.

Incoming search terms:

  • conceito valor agregado projetos
  • cpi spi ev ac pv
  • o que é prognóstico em projetos?
  • S V diagnostico
  • valor agregado conceito ev
  • valor agregado em projetos

Clique aqui e cadastre-se para receber uma notificação por email sempre que um novo artigo for postado

Seu email não será utilizado por terceiros nem para envio de spam.

Stonner

Rodolfo Stonner, Engenheiro Mecânico pela UFRJ, atuou como Engenheiro de Equipamentos Sênior da Petrobras, e foi Gerente de Construção e Montagem das Obras Extramuros da Refinaria Abreu e Lima (RNEST), em Pernambuco. Atualmente aposentado, é consultor e instrutor nas áreas de Gerenciamento de Projetos e Gestão da Manutenção, e está atuando com a Deloitte na implantação do PMO para a Refinaria de Talara, Peru. Gosta de lecionar, trocar experiências e conhecimentos, é certificado como PMP (Project Management Professional) e RMP (Risk Management Professional) pelo PMI, e CRE (Certified Reliability Engineer) pela ASQ.

DEIXE O SEU COMENTÁRIO

  • LUIZ CLAUDIO DE F. PIMENTA

    Parabéns professor Stonner,

    Agradeço o excelente artigo.

    Atenciosamente,

    Luiz Claudio de Faria Pimenta

  • Obrigado, Luiz Cláudio, conto com suas visitas, comentários e sugestões!

  • Marcelo

    E como são geradas estas curvas?

  • Ao construir o cronograma, são associados custos às atividades (e aí temos que tomar MUITO cuidado, pois o Project, Primavera, etc. só apropriam como custos dos recursos as horas efetivamente trabalhadas – vou postar um artigo sobre isto breve). Ao fazer a curva de custos conforme a previsão, tem-se o Planned Value, ao lançar os custos reais tem-se o Actual Cost, e ao avaliar o valor ntrínseco dos entregáveis, tem-se o Earned Value…irei exemplificar em breve, aqui no Blogtek. Obrigado pela pergunta, Marcelo!

  • Pingback: Análise do Valor Agregado – Prognóstico de Projetos blogtek.com.br | blogtek.com.br()

  • Odair

    Rodolfo, muito bom como sempre bem ilustrativo e direto

  • Pingback: Análise do Valor Agregado – Prognóstico de Prazo e Visão Crítica blogtek.com.br | blogtek.com.br()

  • Obrigado, Odair!

  • Marcos Paulo Raposo

    Parabéns ao BlokTek. Conteúdos e Dicas de excelência disponibilizados de forma ampla e descomplicada.

  • Valeu, Marcos Paulo, obrigado! Espero realmente poder colaborar com a comunidade de GP, de forma descomplicada. Comente sempre, faça sugestões!!!

  • Pingback: blogtek.com.brÍndice de artigos do Blogtek - blogtek.com.br()

  • Maurício Castro

    Stonner, parabéns pelo artigo – conteúdo, clareza e objetividade.

  • Muito obrigado, Maurício. Conto com seus comentários, críticas e sugestões.

  • Andrius Sperque

    Olá Sr. Stonner,

    Gostaria de parabenizá-lo pelo ótimo artigo,

    Obrigado pelo uso do seu tempo em escrevê-lo.

    Att.

    Andrius Sperque

  • Valeu, Andrius! É um prazer poder compartilhar vivências e conhecimento!

Publicidade

Gerenciamento de Projetos

Contratos EPC e EPCM – diferenças, vantagens e desvantagens

Comente Stonner 18.09.17
Liderança e Gestão

Diagrama Matricial – uma das sete ferramentas de gerenciamento

Comente Stonner 11.09.17
Gestão da Manutenção

O elo frágil da Gestão de Ativos

Comente Stonner 04.09.17
Gerenciamento de Projetos

Avalie a Comunicação em sua empresa ou organização

Comente Stonner 28.08.17
Gerenciamento de Projetos

Gerenciamento das Partes Interessadas

Comente Stonner 21.08.17

Gerenciamento de Projetos

MS-Project – Dicas e Pegadinhas (Tips & Tricks)

83 Comentários Stonner 28.04.13
Liderança e Gestão

Seis regras testadas para vencer discussões (Les Giblin)

61 Comentários Stonner 01.12.14
Gestão da Manutenção

O Planejamento de uma Parada de Manutenção – Parte 1

61 Comentários Stonner 05.05.13
Atualidades

O que o biquíni esconde e o custo das novas refinarias…

56 Comentários Stonner 17.04.13
Gerenciamento de Projetos

Metodologia FEL – Método dos Portões

44 Comentários Stonner 17.02.13

Bem-vindo ao novo

Blogtek

Seja notificado sempre que um novo conteúdo estiver disponível.

Loading...Loading...
Não se preocupe, não temos prática de enviar spam.
© 2013 - 2017 Blogtek.