Menu

14 Princípios do Sistema Toyota de Produção – parte 3

Stonner Comente 10.04.17 787 Vizualizações Imprimir Enviar

14 Princípios do Sistema Toyota de Produção – em artigos anteriores, abordamos os 9 primeiros princípios desenvolvidos por Deming e EFETIVAMENTE adotados pela Toyota. O destaque dado ao termo EFETIVAMENTE é que não basta afixá-los na parede, é necessário realmente implantá-los, e isto passa por uma mudança CULTURAL.

Clique aqui e cadastre-se para receber uma notificação por email sempre que um novo artigo for postado

Seu email não será utilizado por terceiros nem para envio de spam.

Os 14 princípios do Sistema Toyota de Produção se dividem em 4 seções:

  • Filosofia de longo prazo: Princípio 1
  • Processo correto produzirá resultados corretos: princípios de 2 a 8
  • Agregue valor à Organização desenvolvendo a equipe: princípios 9 a 11
  • A busca contínua da causa básica leva ao aprendizado organizacional: princípios 12 a 14

Se você quiser ser notificado dos próximos artigos, cadastre seu e-mail aqui ao lado, em Assine o Blogtek! SEU E-MAIL NÃO SERÁ USADO POR TERCEIROS.

Princípios do Sistema Toyota de Produção #10

Desenvolva pessoas e equipes excepcionais, as quais sigam a Filosofia de sua empresa.

14 Princípios do Sistema Toyota de Produção -

14 Princípios do Sistema Toyota de Produção –

Muito se fala, se observa, sobre o comportamento oriental de ligação e identificação do empregado com sua empresa. É importante notar que esta ligação não é fortuita, não tem geração espontânea. É necessário antes ter a cultura, missão, valores da empresa bem estabelecidos, divulgados e praticados, para que realmente possa haver uma adesão dos colaboradores a estes valores. Exemplo claro da necessidade de que os valores sejam efetivamente praticados e incorporados são os recentes escândalos de corrupção em diversas empresas, no Brasil, muitas, mas também ao redor do mundo. Certamente, a palavra ética ou sinônimos constavam dentre os valores destas empresas, porém se não eram praticados pela alta direção, certamente não seriam valores a serem incorporados de forma efetiva pela força de trabalho.

Ideias, conceitos, VALORES, não devem ser meras palavras, devem ser atos de fé, da alta direção até o chão de fábrica.

Princípios do Sistema Toyota de Produção #11

Respeite sua rede de parceiros e fornecedores, desafiando-os, estimulando-os a se desenvolverem.

Nenhuma empresa é uma ilha, nenhuma empresa vive apenas de seus clientes, nenhuma empresa é autossuficiente a ponto de não requerer fornecimentos externos. Se os seus fornecedores não tiverem desenvolvido os mesmos conceitos da sua empresa relativamente a prazos e qualidade, certamente você não será capaz de repassar a seus clientes os prazos, custos e qualidade desejados.

É necessário tratar seus fornecedores como uma extensão do seu negócio, e estimular neles o contínuo desejo de melhoria.

Princípios do Sistema Toyota de Produção #12

Para conhecer bem os problemas de sua empresa, acompanhe e conheça-os “in loco”.

Sempre haverá diversos problemas que permeiam qualquer organização. Para conhece-los, e buscar soluções definitivas (causa básica), não se limite a relatórios ou conversas: vá ao local, conheça o processo, discuta com quem executa, e encontre a solução. No mundo corporativo brasileiro temos a expressão meio chula, usada por isso muitas vezes na forma de um acrônimo: TBC (Tire a bunda da cadeira).

Fundamental que a direção da empresa conheça através de seus próprios olhos os problemas que afligem seu negócio.

Princípios do Sistema Toyota de Produção #13

Tome as decisões lentamente, analisando todos os aspectos do problema. Implemente a solução rapidamente (nemawashi).

Princípios do Sistema Toyota de Produção

Princípios do Sistema Toyota de Produção

Muitas lideranças acham que para demonstrar a efetividade de sua liderança devem ser capazes de tomar decisões rapidamente. Na realidade, a menos de circunstâncias muito especiais (emergências), as decisões devem ser tomadas com calma, observando todos os aspectos do problema e chegando à causa básica. Decisões rápidas geralmente só eliminam a causa imediata.

Nemawashi é a palavra japonesa para o processo decisório abrangente, consultando a equipe, envolvendo e comprometendo as pessoas e equipes. Desta forma, além de se conseguir detectar a causa básica, já se o obtém o necessário engajamento das pessoas para uma rápida e efetiva implementação da decisão tomada.

Princípios do Sistema Toyota de Produção #14

Seja uma empresa aprendiz (learning organization) através da reflexão contínua (hansei) e da melhoria contínua (kaizen).

Uma vez estabelecidos os processos de sua empresa, utilize ferramentas de melhoria contínua (destaca-se o PDCA – Plan, Do, Check, Act) para constantemente eliminar as causa básicas dos problemas que surgem e obter sempre resultados melhores.

Desenvolva processos que requeiram o mínimo de inventário estocado e estimule o uso do “Just-in-Time”, ou seja, “Na hora certa”, o que significa que os insumos devem ser disponibilizados no momento de sua utilização, e não estocados inutilmente com antecedência. Aí, mais uma vez percebe-se a importância do Princípio 11, desenvolver a rede de fornecedores.

Estamos sempre buscando dicas e sugestões para Gerenciamento, Gerenciamento de Projetos, Gestão da Manutenção, envolvendo a Gestão do Conhecimento. Para manter-se informado sobre os próximos artigos, cadastre seu e-mail em Assine o Blogtek! SEU E-MAIL NÃO SERÁ USADO POR TERCEIROS.

 

Clique aqui e cadastre-se para receber uma notificação por email sempre que um novo artigo for postado

Seu email não será utilizado por terceiros nem para envio de spam.

Stonner

Rodolfo Stonner, Engenheiro Mecânico pela UFRJ, atuou como Engenheiro de Equipamentos Sênior da Petrobras, e foi Gerente de Construção e Montagem das Obras Extramuros da Refinaria Abreu e Lima (RNEST), em Pernambuco. Atualmente aposentado, é consultor e instrutor nas áreas de Gerenciamento de Projetos e Gestão da Manutenção, e está atuando com a Deloitte na implantação do PMO para a Refinaria de Talara, Peru. Gosta de lecionar, trocar experiências e conhecimentos, é certificado como PMP (Project Management Professional) e RMP (Risk Management Professional) pelo PMI, e CRE (Certified Reliability Engineer) pela ASQ.

DEIXE O SEU COMENTÁRIO

Publicidade

Gerenciamento de Projetos

Síndrome do estudante – procrastinação

Comente Stonner 20.11.17
Liderança e Gestão

Planejamento de cenários – estratégia na incerteza

Comente Stonner 13.11.17
Gerenciamento de Projetos

O projeto como parte do negócio – PMBOK Guide sexta edição

Comente Stonner 06.11.17
Gerenciamento de Projetos

Lei de Parkinson – expansibilidade do trabalho

1 Comentário Stonner 30.10.17
Gerenciamento de Projetos

Joint Confidence Level (JCL) – análise simultânea de custo e prazo

2 Comentários Stonner 23.10.17

Gerenciamento de Projetos

MS-Project – Dicas e Pegadinhas (Tips & Tricks)

83 Comentários Stonner 28.04.13
Liderança e Gestão

Seis regras testadas para vencer discussões (Les Giblin)

61 Comentários Stonner 01.12.14
Gestão da Manutenção

O Planejamento de uma Parada de Manutenção – Parte 1

61 Comentários Stonner 05.05.13
Atualidades

O que o biquíni esconde e o custo das novas refinarias…

56 Comentários Stonner 17.04.13
Gerenciamento de Projetos

Metodologia FEL – Método dos Portões

44 Comentários Stonner 17.02.13

Bem-vindo ao novo

Blogtek

Seja notificado sempre que um novo conteúdo estiver disponível.

Loading...Loading...
Não se preocupe, não temos prática de enviar spam.
© 2013 - 2017 Blogtek.